Segundo o ministro britânico da Saúde, Matt Hancock, este é um “momento histórico”, tendo-se referido à data como “Dia V” [uma referência ao Dia da Vitória da II Guerra Mundial].

País europeu mais afetado pela crise pandêmica (com mais de 61 mil mortes e mais de 1,7 milhão de casos de infecção), o Reino Unido é o primeiro país do mundo a ter autorizado o uso da vacina anti-covid-19 desenvolvida pela o grupo farmacêutico americano Pfizer e a empresa alemã BioNTech e será o primeiro país ocidental a iniciar sua campanha de vacinação.

Em nota divulgada no fim de semana, Matt Hancock especificou que os primeiros grupos que receberão a vacina serão “os mais vulneráveis ​​e aqueles com mais de 80 anos”, bem como funcionários da casa e da saúde pública. (NHS).

As especificidades da vacina Pfizer / BioNTech, que deve ser mantida a 70 graus negativos, representam um desafio logístico, frisaram as autoridades sanitárias britânicas, que indicaram que as doses têm de ser transportadas por empresa especializada e que o seu descongelamento demora várias horas .

O Reino Unido encomendou 40 milhões de doses da vacina Pfizer / BioNTech, o que permite proteger 20 milhões de pessoas, já que essa vacina é administrada em duas doses.

Inicialmente, 800 mil doses estarão disponíveis no Reino Unido.

Apesar da rapidez com que o regulador britânico aprovou a vacina Pfizer / BioNTech, a diretora-executiva da agência, June Raine, reiterou que “os mais elevados padrões internacionais” foram aplicados.

EL (SCA) // EL

Lusa / End

By Gabriel Ana

"Passionate student. Twitter nerd. Avid bacon addict. Typical troublemaker. Thinker. Webaholic. Entrepreneur."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *