Após 90 minutos de recepção ao Olympiacos, naquela que foi a primeira vitória do FC Porto na Liga dos Campeões, Pepe não conseguiu deslocar os dragões para Paços de Ferreira para o Campeonato ao receber um resultado de teste inconclusivo para Covid-19 (que deu alguns negativos horas depois) e se machucou durante o treinamento, com um problema na fáscia plantar do pé esquerdo que o obrigou a parar por mais de um mês. Esta noite, provavelmente tendo em vista a Supertaça frente ao Benfica e a necessidade de dar competição ao central, o capitão voltou à equipa como titular. No final, acabou saindo com o clássico em sério risco.

A vitória que também terminou em alta (a crónica do FC Porto-P. Ferreira)

Após um choque com Toni Martínez na zona de Pacense, Pepe imediatamente caiu ao chão com queixas e depressa percebeu que podia ser um problema com alguma gravidade, devido à rapidez com que os companheiros pediam assistência médica e até um beijo na cabeça Sérgio Oliveira quando a central se preparava para sair de campo. Sérgio Conceição, na área técnica, também falava consigo mesmo do que se passava, lamentando a desgraça de um dos elementos mais importantes da equipa e que regressava à equipa cerca de um mês e meio depois. “O médico [Nelson] Puga vai explicar mais pode ser uma fratura pequena, não muito grave … Mas o Dr. Puga vai explicar melhor ”, começou comentando em primeira instância Sérgio Conceição.

Mais tarde, o FC Porto anunciou que Pepe sofreu uma fractura do arco zigomático, “lesão a que vai ser operado esta quinta-feira”. Assim que saiu do Dragão, o internacional português mudou-se para um hospital no Porto antes da intervenção cirúrgica, não há informações sobre o tempo de inatividade e, paralelamente, a possibilidade de voltar à ativa com máscara protetora dependendo da gravidade da fratura.

“Estamos mais uma vez na Final Four da Taça da Liga e vamos tentar ser mais felizes do que nos anos anteriores. O primeiro objetivo está cumprido ”, disse o treinador do Porto, antes de se aproximar de mais um jogo em que os dragões se abriram nos minutos finais, sem Pepe em campo. “Também há mérito do adversário, eles sabem que jogamos contra adversários … O golo do P. Ferreira não devia ter acontecido mas aconteceu. Havia um rigor que eu gostava em termos defensivos. Hoje tivemos o capitão da equipe, infelizmente saiu na parte final e não sabemos a gravidade de sua lesão. Vale destacar o trabalho da equipe e esse incrível ciclo de jogo, que estamos em todas as frentes ”, disse Sérgio Conceição a seguir, antes de destacar também a resposta dada pela equipe nos últimos jogos.

“Temos um espírito de grupo fantástico. Destaco o rigor dos jogadores que entram e percebem a nossa dinâmica com e sem bola. Objetivo? Meu objetivo é vencer todos os dias, os jogos são importantes quando nos permitem conquistar títulos no final da temporada. É óbvio que queremos vencer esta competição [Taça da Liga] porque ainda não fizemos. Nosso objetivo é vencer as três competições internas e também a Liga dos Campeões, onde penso que já fizemos o mais forte ”, concluiu o treinador dos azuis e brancos que se tornou o treinador com mais embates no Dragão esta noite, ao vencer Jesualdo Ferreira (90-89).

By Patricia Joca

"Professional troublemaker. Friend to animals everywhere. Social media expert. Dedicated analyst. Amateur entrepreneur."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *