Ação executiva visa obter arrecadação de 1,78 milhões de euros

A Doyen intentou uma acção de execução na SAD do FC Porto relativa a uma dívida no negócio Brahimi. A acção foi ajuizada este domingo, dia 15, e corre no Tribunal 7 da Vara da Execução do Porto. O fundo pretende arrecadar um montante de 1,78 milhões de euros.

O valor refere-se à passagem do argelino pelo Estádio do Dragão. De acordo com o último relatório e contas do SAD, a 30 de junho deste ano o FC Porto tinha uma dívida corrente de 1,5 milhões de euros à Doyen, isto depois de um ano antes, a 30 de junho de 2019, o fundo credor de 2,5 milhões de euros de dívida corrente e 1,5 milhões de euros de dívida não corrente. Recorde-se que, em 2014, o FC Porto e o fundo de investimento celebraram um contrato “com vista à transferência de parte dos direitos económicos, em regime de associação económica, da Brahimi pelo montante de 5 milhões de euros”. Para além de várias cláusulas de compra e venda de percentagens ao longo do contrato celebrado, em setembro de 2018 “Doyen informou o FC Porto, o exercício da opção de venda da percentagem que detinha do jogador, entretanto prorrogado por um ano, conforme acordado entre as partes, pelo montante de 6,5 M €, dos quais permanece em aberto o montante de 1,5 M € ”.

O atual processo de execução estará relacionado a este valor, acrescido de juros de mora. Recorde-se que o fundo não conseguiu obter ganhos financeiros com uma eventual alienação do argelino a terceiros, uma vez que o jogador acabou por abandonar o FC Porto como jogador livre. Este fato, de acordo com o que foi contratado, obrigou os dragões a compensar Doyen.

Por registro

43

Deixe o seu comentário

By Patricia Joca

"Professional troublemaker. Friend to animals everywhere. Social media expert. Dedicated analyst. Amateur entrepreneur."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *