Depois do jogo, os portugueses elogiaram a seriedade da equipa e o comportamento dos jogadores. O Verdão, que já havia vencido o jogo de ida por 3 a 1, abriu o placar no primeiro tempo e controlou a partida, sem muito trabalho.

– Éramos uma equipe séria, competente, levamos a sério esse empate mesmo com a vantagem. O futebol é cheio de surpresas, acontece quando você facilita. Gostei acima de tudo desse compromisso, dessa união. Queríamos muito lutar por todos os torneios. É isso que queremos. Vamos passo a passo, recuperar, lutar juntos por todas as competições, com a mesma vontade, o mesmo desejo, a mesma ambição, é isso que o clube e os sócios exigem de nós, é isso que vamos fazer em campo. – ele disse.

Abel Ferreira no Palmeiras x Bragantino – Foto: Marcos Ribolli

Autor do gol da vitória palmeirense desta quinta-feira, Gabriel Veron foi elogiado por Abel Ferreira. O atacante entrou em campo aos 18 minutos do primeiro tempo, após Wesley ter sido substituído após sentir o joelho esquerdo.

– Gosto de falar individualmente, mas temos que saber que isso aparece no contexto coletivo. Ele teve a chance da lesão de Wesley, mas aproveitou ao máximo. Todos nós conhecemos sua qualidade. É um menino com muita vontade, qualidade, determinação, busca cumprir os compromissos coletivos da equipe. Quando temos uma ideia coletiva e nos libertamos dela, o indivíduo aparece. Ele tem muita qualidade individual.

O Palmeiras conhece seu adversário nas quartas de final da Copa do Brasil nesta sexta-feira, quando a CBF empatará as partidas da próxima fase.

No final de semana, o compromisso do Verdão será contra o Vasco, domingo, às 16h (Brasília), em São Januário, pela primeira rodada da segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

Melhores momentos: Palmeiras 1 x 0 Bragantino pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil

Melhores momentos: Palmeiras 1 x 0 Bragantino pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil

Veja outros trechos da coletiva de imprensa de Abel Ferreira:

Treinar alternativas durante os jogos?
– Sim, é verdade. Sei que é um risco, que ao fazê-lo até possamos marcar um golo, mas não há outra forma de testar alternativas para termos outras soluções de ataque, com a saída de três com Felipe Melo como central, Gabriel Menino tendo que ficar um um pouco mais para trás e faça a saída de três com ele, brinque com dois volantes e um na frente no meio, com o tripé invertido, experimente Scarpa na esquerda … É um risco muito grande, mas quem está dentro o futebol sabe que corre riscos. Como não temos tempo para treinar, é a verdade. Eles descansam, se recuperam, se alimentam bem, são deixados para o centro de saúde e atuação, que tem sido um grande aliado. Tudo o que os jogadores fizeram é mérito, disse ele. A única maneira de treinar alternativas é nos jogos. É arriscado, mas fico feliz com a entrega, com o compromisso. Eles tentaram fazer o que o treinador os desafia. Testar no jogo é difícil, mas não há outra maneira.

Sobre Patrick de Paula:
– Eu sei que eles estão falando sobre os meninos, os especialistas. Mas não vejo idade. Eu vejo a qualidade, o comprometimento, a disposição que eles têm nos treinos e nos jogos. O Felipe Melo está muito bem, não facilita. O Danilo em treinamento treina muito, sabe o que quer e tem essa chance. O Patrick só tem que fazer isso, no treino ele tem que mostrar que quer, quer jogar, estar por dentro, só tem um jeito de me convencer: no treino. Todas as minhas decisões têm uma intenção, que é melhor para a equipe, não melhor para cada jogador. O que importa é o que é melhor para o Palmeiras.

Exceções e Gustavo Scarpa ao lado:
– Foi outro teste que fizemos. Falei com o elenco. Fiz um exercício para descobrir este lateral-esquerdo, que se sacrificou na posição que gosta de jogar na equipa, que se mostrou disponível para ajudar se fosse necessário, e Scarpa foi o primeiro a dizer que se sacrificou. Foi uma das maneiras que tive de encontrar a solução para o lado.

– Esse é o meu trabalho. Se você me perguntar se eu gostaria de ter todos, sem dúvida. Se eu ficar mais forte com esses jogadores, sem dúvida. Mas meu trabalho é encontrar soluções, não desculpas. A obrigação que tenho, contra qualquer um, em qualquer lugar, de jogar para vencer. Independentemente das faltas, que são importantes, na dinâmica da equipa e do grupo.

Sobre Benjamin Kuscevic:
– Foi uma contratação do clube, já estava bem adiantado. Venha nos ajudar muito. Vai ser difícil substituir estes dois defesas que temos. Dois campeões em treinamento, no jogo, como lideram o time, já que fazem o tripé com Felipe Melo na frente. Venha nos ajudar, deixar o elenco mais equilibrado, mas esses dois são fenomenais, brutais, na forma como se dão, como jogam. Mais um jogo sem sofrer golos.

Relacionamento com Sá Pinto, técnico do Vasco e rival no domingo:
– Pelo estudo e pesquisa que fiz, os fãs se respeitam muito. É verdade que treinadores também. Ele é meu amigo, mas dentro de campo farei de tudo para vencer. Esse é o nosso papel, é para isso que trabalhamos, mas em campo cada um luta por si mesmo. Os portugueses são bons como brasileiros, espanhóis, ingleses, é tudo uma questão de estudo, de partilha. Quanto mais tempo nos dedicarmos à profissão, melhores seremos.

+ Clique aqui e leia mais notícias do Palmeiras

Matías Viña e Abel Ferreira na partida Palmeiras x Bragantino – Foto: Marcos Ribolli

By Patricia Joca

"Professional troublemaker. Friend to animals everywhere. Social media expert. Dedicated analyst. Amateur entrepreneur."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *