WSL decidiu procurar um local alternativo para terminar o Maui Pro

O surfista que foi atacado por um tubarão na última terça-feira na baía de Honolua, na ilha havaiana de Maui, morreu um dia depois, devido aos ferimentos. O incidente que já havia forçado a suspensão da última jornada do Maui Pro, etapa inaugural do circuito mundial feminino, agora vai obrigar a prova a mudar de local para a realização das finais.

Segundo a mídia havaiana, o surfista em questão tinha 56 anos e era natural de Lahaina. Inicialmente, apenas as marcas deixadas na placa faziam suspeitar que o homem havia sido atacado por um tubarão. A vítima foi transportada para o hospital local, após ser atendida pela equipe médica do próprio campeonato, mas acabou não resistindo aos ferimentos. O incidente ocorreu minutos antes do último dia do Maui Pro cair na água. A organização da prova ainda declarou o evento LIGADO, mas após o ataque a prova foi suspensa por tempo indeterminado, sabendo agora que terminará em outro local.

Esta é a primeira vítima mortal de um ataque de tubarão no Havaí desde novembro de 2019. Uma situação incomum na idílica área de Honolua Bay, mas que obrigou a WSL a suspender o campeonato. Agora, a opção, segundo o site, é encontrar outro local onde possam encerrar a competição, em um momento em que há apenas uma disputa entre as semifinais e a final – e uma bateria das quartas-de-final.

De acordo com a WSL, a decisão de não continuar a corrida em Honolua Bay foi tomada em conjunto com as autoridades e surfistas. A novidade é prometida em breve, com o diretor da prova frisando que está em busca de uma alternativa no Havaí, o que significa que a opção poderá até passar por outros pontos fora da ilha de Maui.

Por João Vasco Nunes

By Carlos Henrique

"Introvertido amigável. Estudante. Guru amador de mídia social. Especialista em Internet. Ávido encrenqueiro."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *