Quando questionado sobre como seria essa reação de Moscou, ele disse em comentários na televisão estatal russa no domingo que “podem ser muitos” e acrescentou, sem maiores explicações, que “vai depender das propostas que nossos especialistas militares me fizerem”.

Os EUA e seus aliados se recusaram a oferecer à Rússia o tipo de garantia que Putin deseja para a Ucrânia, referindo-se ao princípio da OTAN de que a adesão está aberta a qualquer país qualificado. Você concordou. no entanto, para iniciar as negociações de segurança com a Rússia no próximo mês para tratar de suas preocupações.

Putin disse que as negociações com os EUA ocorrerão em Genebra. Ao mesmo tempo, serão realizadas negociações entre a Rússia e a OTAN e aguardam-se discussões mais amplas sob a égide da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa.

Em uma declaração transmitida no domingo, Putin disse que a Rússia apresentou as demandas na esperança de uma resposta construtiva do Ocidente.

“Não fizemos isso apenas para vê-lo bloqueado … mas para obter um resultado de negociação diplomática que será fixado em documentos juridicamente vinculativos”, disse Putin.

Ele reiterou que a adesão à OTAN para a Ucrânia ou o uso de armas da aliança havia uma linha vermelha para Moscou que o Ocidente não cruzaria.

“Não temos para onde recuar”, disse ele, acrescentando que a Otan poderia lançar mísseis na Ucrânia que levariam apenas quatro ou cinco minutos para chegar a Moscou. “Você nos levou a um limite que não podemos ultrapassar. Eles chegaram ao ponto em que simplesmente temos que contar a eles; ‘Pare!'”

Ele expressou preocupação de que os EUA e seus aliados possam tentar prolongar as negociações de segurança e usá-las como cobertura para o aumento militar perto da Rússia.

Ele destacou que a Rússia publicou suas demandas de segurança a fim de torná-las conhecidas do público e aumentar a pressão sobre os EUA e seus aliados para negociar um acordo de segurança.

“Temos apenas um objetivo – chegar a acordos que garantam a segurança da Rússia e de seus cidadãos agora e no longo prazo”, disse ele.

O Kremlin apresentou sua demanda de segurança em meio a tensões sobre o aumento de tropas russas perto da Ucrânia nas últimas semanas, o que alimentou os temores ocidentais de uma possível invasão. O presidente dos EUA, Joe Biden, alertou Putin em uma vídeo chamada no início deste mês que a Rússia esperaria “consequências graves” se atacar a Ucrânia.

A Rússia negou a intenção de invadir e, por sua vez, acusou a Ucrânia de traçar planos para tentar retomar o controle das áreas mantidas pelos rebeldes apoiadas por Moscou pela força. A Ucrânia rejeitou o pedido.

A Rússia anexou a península ucraniana da Crimeia em 2014 e logo depois apoiou uma rebelião separatista no leste do país. Em mais de sete anos, a luta matou mais de 14.000 pessoas e devastou o coração industrial da Ucrânia, o Donbass.

By Carlos Eduardo

"Fã de música. Geek de cerveja. Amante da web. Cai muito. Nerd de café. Viciado em viagens."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *