Jogar a final da Liga dos Campeões totalmente inglesa em casa, em Wembley, em vez de Istambul, está se revelando problemático.

Em vez disso, os jogadores e adeptos do Chelsea e do Manchester City poderão viajar para Portugal.

As esperanças da UEFA de realizar o seu projecto emblemático em Istambul foram frustradas pelo segundo ano consecutivo. Desta vez, a Turquia foi adicionada à “Lista Vermelha” de países com surtos graves de coronavírus na Inglaterra.

A decisão do governo britânico de impossibilitar os torcedores de viajar da Inglaterra para a Turquia veio na sexta-feira, dois dias após o término das semifinais.

No entanto, o governo conversou imediatamente com a UEFA sobre a possibilidade de transferir a final para Wembley em 29 de maio.

As negociações entre a UEFA e o governo não encontraram uma solução na segunda-feira. Os organizadores da competição queriam que a mídia, patrocinadores e convidados pudessem voar sem quarentena, disseram pessoas a par das conversas à Associated Press. Eles falaram sob condição de anonimato, pois não foram autorizados a discutir as conversas.

A UEFA deu ao governo do Reino Unido até terça-feira para decidir se as autoridades podem oferecer qualquer isenção de viagem de que possam necessitar.

Do contrário, como na temporada passada, a UEFA vai considerar levar a final para Portugal.

Enquanto o estádio do Benfica, em Lisboa, foi palco da vitória do Bayern de Munique sobre o Paris Saint-Germain, o Porto é uma das opções de substituição para a final desta temporada no Estádio do Dragão com capacidade para 50.000.

Portugal está na “lista verde” da Inglaterra com 12 áreas de baixo risco, onde as pessoas não precisarão ser colocadas em quarentena no seu retorno na próxima segunda-feira, tornando mais fácil para milhares de torcedores do City e do Chelsea viajar.

Portugal teria de levantar o seu atual bloqueio aos turistas do Reino Unido.

A Suíça, onde está sediada a UEFA, é um dos países âmbar de onde as pessoas que chegam à Inglaterra têm de ser colocadas em quarentena durante 10 dias, embora organizadas individualmente e não através do isolamento obrigatório dos hotéis para chegadas de países da lista vermelha.

No entanto, a UEFA já recebeu isenções da quarentena oficial e da comunicação social para o Campeonato da Europa em Inglaterra, com oito jogos em Wembley, incluindo a final de 11 de julho.

By Patricia Joca

"Professional troublemaker. Friend to animals everywhere. Social media expert. Dedicated analyst. Amateur entrepreneur."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *