Emirates lançou a primeira sonda árabe para Marte em julho - 19.5.2020
Barcelona (Espanha), 26 de junho (EFE) .- A Universidade de Barcelona identificou um novo coronavírus em amostras de águas residuais coletadas na cidade em 12 de março de 2019, o que significa que o SARS-CoV-2 já estava presente um ano antes da declaração de pandemia, 11 de março de 2020, que marcou o início da crise.

O resultado da pesquisa mostra que o coronavírus circulou muito antes de ser conhecido, de acordo com um comunicado divulgado pela universidade na sexta-feira.

O governo espanhol declarou estado de emergência em 14 de março e aprovou medidas de austeridade para restringir o movimento populacional e a atividade social e econômica para combater a infecção.

Segundo o Ministério da Saúde, três mortes e 157 novos casos de Covid-19 foram relatados na quinta-feira. Um total de 28.330 mortes e 247.486 casos foram relatados na Espanha.

Especialistas estudaram amostras colhidas semanalmente de dois dispositivos de purificação na capital catalã, assumindo que grandes quantidades do genoma do coronavírus foram encontradas nas fezes.

“Os níveis do genoma SARS-CoV-2 coincidem claramente com a evolução dos casos Covid-19 na população”, explicou o coordenador do trabalho, Albert Bosch.

No entanto, depois de determinar a presença do vírus antes que os casos mostrem, segundo os pesquisadores, muitas pessoas infectadas podem ter sido confundidas com a gripe.

“O reconhecimento da disseminação do SArS-CoV-2 com um mês de antecedência proporcionaria uma resposta melhor à pandemia”, afirmou Bosch. EFE

nac-jl / vnm

By Carlos Eduardo

"Fã de música. Geek de cerveja. Amante da web. Cai muito. Nerd de café. Viciado em viagens."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *