O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, avançou neste domingo com um recurso contra a decisão de um juiz federal da Pensilvânia, que no sábado se recusou a bloquear a certificação dos resultados eleitorais no estado.

A equipe de advogados do presidente cessante interpôs recurso para a 3ª Corte de Apelação dos Estados Unidos, seguindo a posição do juiz Matthew Brann, que emitiu uma ordem para o cancelamento de denúncias de irregularidades generalizadas com boletins de voto.

Trump argumentou que a garantia da Constituição dos EUA de proteção igual perante a lei foi violada quando os condados da Pensilvânia adotaram abordagens diferentes para notificar os eleitores antes da eleição sobre problemas técnicos com boletins de voto.

O juiz Matthew Brann escreveu em sua decisão que Trump havia pedido ao tribunal que retirasse o direito de voto de quase sete milhões de eleitores. Ao procurar por um “resultado surpreendente”, disse ele, poderia se esperar que um reclamante apresentasse argumentos jurídicos convincentes e “evidências factuais de corrupção desenfreada”, mas “não o fez”.

Donald Trump resumiu as falhas judiciais em um esforço para interromper a transição de poder para o democrata Joe Biden, que deve assumir o cargo em janeiro. Sem ainda admitir a derrota nas eleições de 3 de novembro, o candidato republicano esperava obter a anulação dos votos por via judicial e, assim, recuperar os 20 grandes eleitores daquele estado, decisivos nas suas esperanças de uma reeleição.

Os condados devem certificar seus resultados à secretária de Estado da Pensilvânia, Kathy Boockvar, até segunda-feira, que fará sua própria certificação. Em seguida, o governador democrata Tom Wolf deve notificar os eleitores sobre o candidato vencedor, que deverá votar no dia 14 de dezembro sobre qual será a formalização do resultado no Colégio Eleitoral.

By Carlos Eduardo

"Fã de música. Geek de cerveja. Amante da web. Cai muito. Nerd de café. Viciado em viagens."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *