Better Cotton & ABRAPA realizam workshops de controle de pragas no Brasil
Better Cotton, o maior programa mundial de sustentabilidade para o algodão, e a ABRAPA, a Associação Brasileira de Produtores de Algodão, colaboraram para organizar um workshop de Manejo Integrado de Pragas (MIP) em Brasília, Brasil. O workshop em andamento, que termina amanhã, reuniu especialistas do setor para discutir o MIP com o objetivo de compartilhar pesquisas e iniciativas inovadoras para o controle de pragas e doenças na cultura do algodão.

O workshop de três dias reuniu especialistas nacionais em MIP no Brasil e apresentou as melhores práticas internacionais e nacionais para reduzir o uso de pesticidas químicos. Isso inclui sessões do Dr. Paul Grundy, gerente técnico de IPM da CottonInfo na Austrália, que apresentará um estudo de caso sobre a redução do uso de pesticidas sintéticos, e o Dr. Peter Ellsworth, professor de entomologia da Universidade do Arizona, que proporá recomendações de estratégias de MIP para os produtores brasileiros. As melhores práticas nacionais serão apresentadas e discutidas por representantes da Embrapa, associações estaduais de cotonicultores, Ministério da Agricultura e Pecuária do Brasil e instituições de pesquisa, de acordo com a Better Cotton e a ABRAPA em um comunicado conjunto à imprensa.

Better Cotton, o maior programa de sustentabilidade do algodão do mundo, e a ABRAPA, a Associação Brasileira de Produtores de Algodão, colaboraram para organizar um workshop de MIP em Brasília, Brasil. O workshop em andamento, que termina amanhã, reuniu especialistas do setor para discutir IPM com o objetivo de compartilhar resultados de pesquisas e iniciativas inovadoras.

O evento inclui uma visita de campo à SLC, uma fazenda licenciada pela Better Cotton e pela ABRAPA que implementou com sucesso práticas de MIP, incluindo o uso de controle biológico de pragas e outras alternativas aos pesticidas sintéticos para tratar suas plantações de algodão. Especialistas da Better Cotton e da ABRAPA também farão apresentações enquanto os participantes se reúnem para considerar os desafios e as oportunidades para os produtores brasileiros.

A ABRAPA é parceira estratégica da Better Cotton desde 2013, quando seu próprio programa de certificação de algodão sustentável (ABR) foi comparado com sucesso ao Better Cotton Standard System (BCSS). Hoje, 84 por cento das grandes fazendas do Brasil participam de ambas as certificações, e o Brasil é atualmente o maior produtor de Better Cotton, respondendo por cerca de 42 por cento da produção global.

Em um clima tropical com intensa pressão de pragas, principalmente do bicudo, e com um ciclo agronômico mais longo do que outras culturas (até 200 dias para algumas variedades disponíveis), os cotonicultores brasileiros enfrentam um verdadeiro desafio em reduzir o uso de pesticidas para proteger suas colheitas. O programa ABR aborda esse desafio financiando pesquisas, treinamento de campo em IPM e segurança ocupacional e ambiental. O workshop permitirá que os participantes discutam um roteiro para uma estratégia nacional brasileira de MIP que fortaleça a ABR e a parceria internacional com a Better Cotton, acrescentou o comunicado à imprensa.

“O ano de 2023 marca o décimo aniversário de nossa parceria com a ABRAPA, na qual trabalhamos juntos para identificar e promover as melhores práticas e trazer maiores benefícios para produtores de algodão, trabalhadores e meio ambiente. Um dos principais desafios que precisamos enfrentar para tornar o setor algodoeiro mais sustentável para todos é minimizar os efeitos nocivos da proteção de cultivos, e é por isso que eventos como este workshop são tão importantes para o nosso trabalho. Estou ansioso para trabalhar com os parceiros da Better Cotton no Brasil para fornecer consultoria técnica sobre manejo integrado de pragas”, disse ele Alan McClay, CEO da BetterCotton.

Alexandre Schenkel, presidente da ABRAPA e cotonicultor, observou que, devido às condições naturais de clima e solo do Brasil, que não apresenta invernos rigorosos ou outros fatores que interrompam o ciclo de pragas e doenças, o uso de pesticidas dentro de um modelo de MIP é uma questão-chave de sustentabilidade. “Os produtores brasileiros de algodão são racionais com esses insumos, que na verdade compõem a maior parte de seus custos agrícolas. A cada dia agregamos mais tecnologias ao nosso IPM, com foco em soluções biológicas”, disse.

Ele também afirmou que encontrar soluções sustentáveis ​​para proteger as lavouras de algodão e incentivar a adoção de melhores práticas agrícolas é uma prioridade da ABRAPA, que é destaque no programa ABR. “Cada vez mais reconhecida pelos mercados, governos e sociedade, a ABR completa este ano uma década de benchmarking com a Better Cotton, fornecedora líder mundial de licenças de algodão de origem responsável”, concluiu Schenkel.

Fiber2Fashion Newsdesk (NB)

By Carlos Jorge

"Proud coffee expert. Webaholic. Zombie guru. Introvert. Avid beer aficionado. Analyst. Total TV practitioner. Award-winning foodie. Student."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *