FOTO

FOTO: Os pesquisadores investigam o passado, o presente e o futuro dos veículos inteligentes e como eles podem ser integrados em cidades inteligentes. visualizar Mais

Crédito da foto: IEEE / CAA Journal of Automatica Sinica

O enriquecimento da vida humana é fundamental para todo avanço tecnológico. A Internet e a conectividade sem fio ajudaram não apenas a permitir que praticamente qualquer pessoa, em qualquer lugar, se conectasse em tempo real, mas também conectou pessoas a uma variedade de dispositivos inteligentes internos e externos, tornando cidades inteligentes no horizonte.

Um aspecto essencial na realização de cidades inteligentes são os “Veículos Inteligentes”, o mais recente desenvolvimento em sistemas de transporte inteligente (ITS), nos quais tecnologias de comunicação, mapeamento, posicionamento, rede e sensores são integradas de forma a criar tecnologias cooperativas, eficientes, inteligentes, para garantir tecnologias seguras e protegidas. e transporte econômico.

Por décadas, a pesquisa para colocar veículos inteligentes nas estradas que operem com sucesso como parte da infraestrutura da cidade inteligente tem se concentrado em melhorar os paradigmas de computador para conectividade de rede de veículos. Nos últimos 30 anos, a Rede Ad Hoc de Veículos (VANET), uma estrutura na qual os veículos se organizam para fornecer serviços essenciais relacionados à segurança no trânsito, tem se desenvolvido de forma estável. Com o advento das redes 5G, no entanto, a VANET em breve dará lugar à Internet de Veículos (IoV), um novo tipo de ambiente veicular com infraestruturas mais poderosas.

“A VANET foi projetada principalmente para alertar os motoristas sobre condições adversas ou emergências nas proximidades. A IoV, por outro lado, usa Inteligência Artificial (IA) para fornecer serviços de alto nível, como informações sobre congestionamentos com base na localização do usuário e preferências pessoais.” Dr. Naercio Magaia da Universidade de Lisboa, Portugal, que trabalha com redes de computadores e IA e recentemente trabalhou com uma equipe global para desenvolver paradigmas de computador que moldam os ambientes veiculares emergentes. Sua pesquisa foi publicada em Jornal IEEE / CAA da Automatica Sinica.

A IoV está em sua infância e há certos aspectos críticos a serem considerados. Por exemplo, quantos serviços e dispositivos diferentes podem existir em uma estrutura IoV? Como podemos garantir que um usuário possa acessar as informações mais relevantes para ele com o menor atraso possível? E, claro, como você pode proteger uma rede heterogênea com uma infinidade de dispositivos?

Em sua análise, Dr. Magaia e sua equipe descobriram que, para resolver naturalmente esses problemas, dois tipos principais de paradigmas de computação precisam ser integrados e aprimorados: 1) Vehicle cloud computing (VCC), que é semelhante à computação em nuvem (fornecimento) de serviços de computador, incluindo servidores, memórias, bases de dados, redes, software e inteligência, via Internet ou “nuvem”), exceto aqui os veículos funcionam como “nuvem” ou “cluster de computadores”; e 2) Vehicle Fog Computing (VFC), em que as unidades computacionais (nós) são distribuídas como Roadside Units (RSU) – infraestruturas usadas para estender a cobertura do veículo e o desempenho da rede – ou os próprios veículos.

Ambos os paradigmas têm vantagens e desvantagens. Embora o VCC tenha todos os benefícios da computação em nuvem geral e seja adequado para situações de congestionamento, é caro de usar e sofre de grande latência de rede porque o sistema geral é remoto, tornando-o inadequado para aplicativos em tempo real. O VFC, por outro lado, é barato e permite serviços em tempo real porque os nós estão próximos ao usuário que precisa do serviço. Também é adaptável a uma ampla variedade de necessidades, mas não oferece segurança adequada ou protocolos sem fio práticos.

Dr. Magaia e sua equipe argumentam que esses dois paradigmas devem se complementar para que as redes de veículos inteligentes em aplicações em tempo real se integrem verdadeiramente às cidades inteligentes. Por exemplo, os veículos podem sair de uma nuvem durante um congestionamento de tráfego e, ao mesmo tempo, realizar cálculos de nó de névoa. Além disso, o futuro está na unificação de elementos tecnológicos de próxima geração, como redes definidas por software, redes celulares 6G e computação sem servidor com esses paradigmas.

“Acreditamos que até 2050, com pesquisas como essa, bilhões de dispositivos formarão uma Internet de Todas as Coisas (IoE)”, diz o Dr. Magaia sobre sua visão. “No futuro, é fundamental dirigir com mais segurança. Espera-se que esse tipo de pesquisa revolucione a forma como as relações entre o motorista e o trânsito funcionam em todo o mundo. Os veículos serão” mais inteligentes “e mais confortáveis ​​para o motorista e os passageiros. Do ponto de vista social, os veículos vai se tornar uma extensão da individualidade do motorista, embutida na vida cotidiana, assim como os smartphones existem depois de quase 12 anos como os conhecemos. ”

Esses tempos que o Dr. Magaia se apresenta, talvez não esteja longe!

###

referência

L. Silva, N. Magaia, B. Sousa, A. Kobusi? Ska, A. Casimiro, CX Mavromoustakis, G. Mastorakis e VHC Albuquerque. Autom. Sinica, vol. 8, não. 3, pp. 491-511, março de 2021.

http: // www.ieee-sim.Rede/Itens/doi /101109 /SIM.2021.1003862? PageType =sobre

https: //.ieeexplore.ieee.org /Documento/9346073

Jornal IEEE / CAA da Automatica Sinica visa publicar resultados de pesquisa de alta qualidade, altamente interessantes e de longo alcance em todo o mundo e fornecer um fórum internacional para a apresentação de idéias originais e resultados atuais sobre todos os aspectos da automação.

O primeiro fator de influência de Jornal IEEE / CAA da Automatica Sinica está em 5.129 e, de acordo com os últimos Journal Citation Reports publicados pela Clarivate Analytics em 2020, pertence aos primeiros 17% (11/63, SCI Q1) na categoria Sistemas de automação e controle desde 2018 em todas as três categorias (sistema de informação, controle e tecnologia de sistema, Inteligência Artificial) no primeiro trimestre.

Por que publicar conosco: Avaliação rápida e de alta qualidade; Sistema de submissão online simples e eficaz; Divulgação amplamente possível de sua pesquisa em todo o mundo; Indexado em SCIE, EI, IEEE, Scopus, Inspec. Os papéis do JAS podem ser encontrados em http: // ieeexplore.ieee.org /xpl /mostRecentIssue.jsp? punumber =6570654 ou http: // www.ieee-sim.rede

By Carlos Jorge

"Proud coffee expert. Webaholic. Zombie guru. Introvert. Avid beer aficionado. Analyst. Total TV practitioner. Award-winning foodie. Student."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *