A WSL (World Surfing League) anunciou nesta quinta-feira (17) que mudará a localização do Maui Pro, primeira etapa do Circuito Mundial de Surf Feminino, após um ataque de tubarão na semana passada em Honolua Bay (Havaí), sede inicial do a competição.

Agora, a competição segue em Pipeline, na ilha de Oahu (Havaí).

“O resto do Maui Pro […] foi aprovado para ser concluído em Pipeline [a primeira vez que uma competição feminina de CT será realizada no local]. Apoiamos o projeto 10 recém-aprovado e esperamos fazer parte da promoção de uma maior igualdade de gênero para o surfe no Havaí ”, disse o Diretor Executivo da WSL, Erik Logan, em um comunicado.

“Agradeço muito a oportunidade das mulheres surfarem aqui em Pipe, em um dia normal é muito complicado e intimidante pegar uma onda aqui, então olhar para a programação com apenas mais uma garota é muito especial”, disse a atual campeã mundial Carissa Moore.

Brasileiro na disputa

O Maui Pro será reiniciado com a disputa entre a brasileira Tatiana Weston-Webb e o americano Sage Erickson pelas quartas de final da competição.

Competição masculina

Ainda nesta quinta-feira, as disputas foram retomadas no Billabong Pipe Masters, primeira etapa do circuito mundial de surf masculino. A competição foi interrompida na última sexta-feira (11) depois que funcionários da WSL, incluindo o diretor executivo Erik Logan, testaram positivo para o novo coronavírus (covid-19).

By Patricia Joca

"Professional troublemaker. Friend to animals everywhere. Social media expert. Dedicated analyst. Amateur entrepreneur."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *