Já sabemos que no Brasil a telefonia não faz parte dos melhores serviços, na verdade, não são muitas coisas que oferecem boas possibilidades em terras tupinquins. Porém, agora não é apenas o povo brasileiro que está afirmando da deficiência da telefonia brasileira, o Procon-SP revelou que a maior parte das reclamação são desse setor.

O mercado de telecomunicação liderou o ranking de reclamação da Procon de São Paulo, em sua base anual. Entre as empresas mais reclamadas, quatro delas são do mercado de telefonia móvel, e as queixas foram ainda maiores que no ano anterior.

A companhia que aparece constantemente na lista é a Telefónica, que aqui no Brasil atua como Vivo, e entre todas as reclamações realizadas, cerca de 37,51% não foram respondidas. Em seguida ficam a Claro, Net e Embratel, com 18,11% dos pedidos não resolvidos.

“Celulares, eletrodomésticos e eletroeletrônicos ainda geram inúmeras demandas que apontam vícios de qualidade dos produtos, bem como déficit nos setores de pós-venda. No comércio online, destacam-se limitações ao exercício do direito de arrependimento, falhas nas entregas (atrasos, não recebimento ou fornecimento diverso do contratado) e vício de produto”, afirmou o Procon.

Em seguida na lista as operadoras Oi, em quinto lugar, e TIM, em oitavo, foram as mais reclamadas, com 1911 e 1397 queixas, respectivamente. O Procon ainda informa que ao decorrer de 2014 foram realizadas mais de 942 mil reclamações, e “apenas” 63,1 milproblemas não foram resolvidas.