Derrotado pelo São Paulo por 2 a 1 na estreia pelo Flamengo, nesta quarta-feira, no Maracanã, Rogério Ceni lamentou o resultado. Para ele, não foi justo com a produção da equipe, e ele já projetou o duelo da volta. Ele também aproveitou para defender o jovem goleiro Hugo Souza, que falhou na aposta da capital, o segundo gol do time paulista.

O novo treinador rubro-negro gostou da produção da equipa e lamentou a ausência de jogadores devido a lesões e convocatórias para as respectivas selecções – Pedro, Éverton Ribeiro, Filipe Luís, Rodrigo Caio e Isla, bem como Diego, em recondicionamento físico.

– O resultado não mostra a realidade que o jogo foi, principalmente no primeiro tempo, quando chegamos muito. Faltava o mínimo detalhe. Produzimos muito bem. É uma pena. Faltam mais 90 minutos e é um gol de diferença. É uma pena termos alguns jogadores lesionados e outros na selecção nacional. Faremos o nosso melhor para formar uma equipe para a próxima quarta-feira.

Melhores momentos: Flamengo 1 x 2 São Paulo nas quartas de final da Copa do Brasil

Melhores momentos: Flamengo 1 x 2 São Paulo nas quartas de final da Copa do Brasil

O jogo de volta contra o São Paulo será na próxima quarta-feira, no Morumbi. O Flamengo precisa vencer por dois de diferença para avançar para a semifinal. Uma simples vitória leva à disputa pelos pênaltis. Antes, no próximo sábado, às 21h30, o Flamengo enfrenta o Atlético-GO, no Maracanã, pelo brasileiro.

Rogério Ceni na derrota do Flamengo para o São Paulo pela Copa do Brasil – Foto: Alexandre Neto / Photopress / Estadão Conteúdo

Confira a entrevista completa do Ceni:

Acho que o Hugo é um grande goleiro. Seu futuro é excepcional no Flamengo e além, na Seleção Brasileira. Assisti ao primeiro jogo dele, contra o Palmeiras. Acontece, é futebol. Poderia ser mais simples. É um risco que ele perdeu. Temos que colocar em escala tudo o que ele fez pelo Flamengo, jogos que evitaram a derrota. Vai continuar funcionando. Ele é um ótimo garoto.

Hugo é muito maduro. Se não vou dormir com a derrota, imagine-o. Primeiro sentimento de erro como goleiro profissional. Se ele quer conversar, tenho certeza que sabe se expressar bem. O torcedor tem que abraçar, pois já se revelou um grande goleiro.

A postura foi o que mais me deixou feliz. Postura muito diferente. Bruno Henrique e Gabriel juntos na frente, como eles gostam. Vitinho foi o melhor jogador em campo, uma partida excepcional. Infelizmente, Arrascaeta regressava de lesão, tal como Pedro Rocha. Tentamos ser agressivos. Com a dupla defensiva que a meu ver foi a melhor para o jogo de hoje.

Frustração com a derrota

Precisamos melhorar a intensidade de alguns jogadores que estão há muito tempo parados. Só posso elogiar, não criticar. O Flamengo jogou bem. É frustrante sair com a derrota do jeito que foi. Estou feliz com a maneira como eles se comportaram em campo. Se fosse três a zero para nós, seria justo, normal. Tivemos um ótimo jogo.

Projeção para o duelo do colo

Difícil de rastrear esta noite. Precisamos ver a condição física de cada um. Além dos feridos, temos estes voltando de feridos. Você realmente não pode exigir deles fisicamente. Não consegui matar os caras treinando ontem. Eu sei que o Flamengo precisa vencer todos os dias. O tamanho exige isso. A festa que ele deu lá fora foi muito legal. Queríamos essa festa lá dentro. Agora é a hora de traçar o caminho do Flamengo para o futuro.

Gabigol poderia jogar por mais tempo?

Gabigol é um jogador que não joga há muito tempo. Ele entrou na final contra o Atlético-MG. Ele estava ficando cansado, não estava mais fazendo a restauração. A partir do momento em que ele se cansou, tive que fazer a troca. Arrascaeta também não estava exatamente ciente de sua situação física quando eu disse. Coloquei no meio porque é uma posição um pouco mais confortável. Essa função secundária vai demorar um pouco para ele fazer. Ainda temos muito jogo pela frente.

Mais elogios aos jogadores

Os torcedores podem esperar a mesma dedicação e vontade de vencer. Agradeço todo o apoio que me foi prestado na minha chegada. Uma coisa que o torcedor vai reconhecer: a atitude desses caras em campo hoje foi fantástica. Vamos tentar nos preparar para o jogo de quarta-feira no Morumbi. Bom campo, como aqui. Uma diferença de gols é possível.

Como melhorar a saída da bola?

Melhorar a saída da bola leva tempo. Não posso fazer uma mudança repentina em um dia. Hoje fizemos esse trabalho, mas não posso mudar isso. Não posso fazer com que treinem amanhã, ou não vão jogar no sábado. Saída do jogo, temos que trabalhar. Eu prefiro que eles se recuperem e joguem. Apenas aqueles que estão dentro estão errados. Quem não toma uma decisão, nunca se engana. Isso poderia ser simplificado? Claro que sim. Mas a experiência também é alcançada por meio de erros.

Maior frustração por não conseguir vencer o São Paulo?

Não durmo todos os dias que não posso ganhar um jogo. O combustível que me move é a vitória. Perder me incomoda muito. Mas me dá força para trabalhar e voltar ao campo de jogo.

Você usou a memória que a equipe tinha da época de Jorge Jesus?

A memória que eles tinham do passado recente e o modelo de jogo em que trabalhei no meu clube anterior. É a forma como eles gostam mais de tocar e com mais peças podemos fazer mais. Mais trocas, mais oxigênio. Temos três jogadores na frente, é difícil escolher dois. Temos Maia, Arão e Gerson, é difícil escolher dois para jogar. Voltamos à metodologia que vi dar certo no Flamengo e estava no meu último emprego, há três anos.

Substituição de Gabigol por Maia

Thiago Maia não entrou no papel de Gabigol. Coloquei Arrascaeta de lado. Eu perguntei a ele por quanto tempo ele sentiu que poderia se sentir bem. Tentei dar a ele os 45 minutos que ele pediu. Essa função exige muito dele. Pelo tempo parado, sofreu para marcar a consulta. A solução, com Gabriel cansado, foi jogar Arrascaeta para circular pelo meio e colocar Maia para proteger mais a descida. E ele tem talento. No Lille jogou lateralmente, inclusive como zagueiro. Ele é um cara com muita qualidade técnica, que pode desempenhar qualquer papel.

Carinho da torcida na chegada ao Maracanã

Gostaria de retribuir o carinho da torcida com a vitória. Eu sei que é importante para eles. O investimento que foi feito, os títulos recentes. Gostaria que eles estivessem aqui dentro do estádio. Espero que em um futuro próximo eu possa entregar os resultados que eles esperam.

– Foto: Divulgação

By Patricia Joca

"Professional troublemaker. Friend to animals everywhere. Social media expert. Dedicated analyst. Amateur entrepreneur."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *