Prós

  • Muito bom para os desastrados
  • Bom Acabamento
Contras

  • A Bateria poderia durar mais
  • Design ruim na bandeja de chip e microSD
  • Tela bastante sensível a riscos e com brilho fraco

 

A Motorola não tem a fama de ser uma empresa inovadora no mercado de smartphones, mas nem por isso deixa de ser uma das fabricantes mais importantes da atualidade, sua linha de intermediários chegou para mostrar a força da companhia no mercado, e bater com um preço em conta outros tops de linha da atualidade lançando novas versões para o Moto X em 2015, dividindo o produto em duas formas diferentes de chegar ao público. Poucos meses depois e já no aniversário de um ano do Moto Maxx, a empresa resolveu que era hora de criar um novo modelo, mas que acabou criando mais uma vertente do Moto X e deu o nome de Force. Neste smartphone temos um processador Snapdragon 810, com oito núcleos, 3 GB de memória RAM e espaçosos 64 GB de memória interna para apps, jogos e músicas, que podem ficar também no slot microSD de até 200 GB. O que mais chama atenção nele é, na verdade, a possibilidade de resistir a quedas com a tela para baixo, junto de uma bateria que aguenta dois dias sem qualquer problema.

Design

A Motorola não esconde que o Moto X Force foi construído para ser forte. A companhia já adotou designs “parrudos” com o Moto Maxx, por exemplo. O acabamento é de metal, que vai desde a borda na traseira até metade da lateral, a divisão ficou estilosa.

O aparelho possui três opções de personalização para a traseira: couro, nylon balístico ou emborrachado. A pegada é firme, mas é um celular maior e mais pesado do que estou acostumado; a câmera, o flash e a marca “Motorola” estão bem no centro.

Os botões liga/desliga e volume estão bem posicionados no lado direito. Na parte inferior, a entrada para o cabo microUSB e em cima o plug para fone de ouvido e a bandeja dos chips e cartão de memória.

A câmera frontal fica na parte direita superior e do lado oposto o flash. No centro o alto-falante para chamadas. Em baixo há o que aparenta ser duas saídas para os alto-falantes; na verdade, apenas um emite som, o outro abriga o microfone.

Tela

Eis aqui o quesito que o Moto X Force se destaca em relação a todos os seus concorrentes, e o que mais chama a atenção no aparelho, a Motorola promove o Moto X Force como tendo uma tela resistente a trincos e estilhaços, denominada ShatterShield. Depois de derrubar o aparelho no chão propositalmente algumas vezes, o display realmente permaneceu intacto. Isso acontece devido à própria construção da tela: em vez de vidro, a Motorola colocou um plástico para revestir o painel AMOLED.

Plásticos não quebram quando caem, mas têm um problema em relação ao vidro: são menos duros e portanto mais fáceis de riscar. A tela do Moto X Force pode ser “inquebrável”, mas definitivamente não ficará intacta por muito tempo. Depois de uma semana, mesmo colocando o aparelho num bolso separado, o display ficou cheio de riscos.

Não são riscos profundos, mas incomodam em algumas situações. A lente externa, que teoricamente protege contra ranhuras e abrasões, se mostrou deficiente.

O painel também não impressiona. Diferente do que fez no Moto X Play e Moto X Style, que possuem telas IPS LCD, a Motorola decidiu colocar um visor AMOLED no Moto X Force. É um painel de altíssima definição, mas sem altíssima qualidade, que sofre de brilho fraco e cores desequilibradas, esverdeadas ou amareladas e inferior aos usados nos outros Moto X, que são mais baratos.

CAMADA 1 – LENTE EXTERNA

Essa é uma camada protetora com revestimento especial e resistente desenvolvida pela Motorola. A lente externa atua para proteger o aparelho contra ranhuras e abrasões e posteriormente pode ser trocada por uma novinha em folha.

CAMADA 2 – LENTE INTEGRADA

A segunda camada é composta por uma lente mais flexível que o vidro, mas que mantém o alto índice de transparência característica desse material. A lente integrada não trinca nem estilhaça, e imagens e vídeos são projetados com nitidez e clareza incríveis.

CAMADA 3 – DUPLA CAMADA SENSÍVEL AO TOQUE

Acidentes acontecem, e é por esse motivo que a Motorola acrescentou um sistema sensível ao toque com redundância para criar um conjunto mais robusto e garantir uma vida útil maior ao aparelho. Se um impacto danificar a parte principal, uma segunda camada assumirá a dianteira para manter o desempenho.

CAMADA 4 – TELA AMOLED

A Motorola utiliza uma excelente tela AMOLED flexível capaz de absorver impactos e proporcionar uma qualidade incrível de imagens e vídeos.

CAMADA 5 – CHASSI DE ALUMÍNIO

A última camada é composta por uma base rígida de alumínio que proporciona suporte ao conjunto e garante maior durabilidade.

Software

Mantendo a tradição dos últimos lançamentos da Motorola, o Moto X Force é equipado com a versão pura do Android. Esse smartphone ainda sai em vantagem em relação aos concorrentes que apostam em personalizações da interface por garantir uma atualização rápida para o próximo update do sistema operacional da Google. No caso do Android Marshmallow, o SO já foi prometido pela fabricante.

Outra vantagem da Motorola é o fato de a empresa não encher os seus smartphones com o que chamamos de bloatware. Há pouquíssimos apps pré-instalados, e os que estão no sistema são bastante úteis. Esse é o caso da tradicional suíte de aplicativos para aprimorar a experiência dos usuários, pacote que compreende o Moto Assist, o Moto Ações, o Moto Voz e o Moto Tela.

Jogos e Multimídia

A GPU que cuida da parte gráfica do Moto X Force é a poderosa Adreno 430, que é capaz de rodar qualquer jogo que está no Google Play em 2015, com os gráficos no máximo e sem exibir qualquer dificuldade. O Snapdragon 810 esquenta bastante, mas não incomoda como acontecia no Xperia Z3+ e não faz com que o desempenho despenque e deixe tudo com cara de um Moto G. Testei Asphalt 8, Real Racing 3 e Mortal Kombat X, com tudo no máximo e sem qualquer travamento. É seguro dizer que o Moto X Force vai rodar muito jogo pesado, por muito tempo e com as mãos nas costas.

Câmera

Se as câmeras presentes no Moto X Play e no Moto X Style impressionaram pela qualidade e mostram que a Motorola tem evoluindo nesse quesito, o conjunto presente no Moto X Force é a constatação disso. As imagens e vídeos produzidos com esse smartphone possuem uma excelente qualidade, apresentando exposição e nível de contraste acima da média.

O foco automático é rápido e funciona muito bem, assim como o flash duplo com sua tecnologia de ajuste à luz ambiente. A prática função de ligar a câmera com o chacoalhar do aparelho é uma verdadeira mão na roda para aquelas capturas precisas e que precisam ser rápidas.

A câmera frontal de 5 megapixels também conta com um flash, proporcionando selfies de qualidade mesmo em ambientes escuros e mal iluminados. O grande ângulo de abertura é capaz de realizar um bom enquadramento, ideal para aqueles que querem colocar várias pessoas no autorretrato. O destaque vai para a funcionalidade “Melhor Foto”, capaz de capturar múltiplas imagens e sugerir a melhor opção de foto, por exemplo, caso você pisque ou mova a câmera no momento do disparo.

Áudio

Aqui está o ponto no qual a Motorola pecou no Moto X Force. Além de comprometer o design, a separação dos alto-falantes inferiores na parte da frente não foi uma solução muito inteligente. Em vez de entregar uma experiência estéreo de qualidade, a Motorola optou por um áudio mono fraco e que praticamente morre caso a saída de som seja obstruída.

Portanto, não se engane: apesar de a saída na base ser dupla, apenas uma delas emite som multimídia, de vídeos e jogos, por exemplo. A outra possui apenas o microfone para a captação da voz durante as chamadas. Os fones de ouvido do Moto X Force são os mesmos presentes nos outros integrantes da família Moto X, oferecendo boa qualidade e uma experiência satisfatória para quem quer curtir músicas ou filmes com o acessório.

Bateria

A bateria promete agradar até usuário mais exigente. Com 3.760 mAh, o Moto X Force consegue ficar um dia inteiro longe das tomadas. Por exemplo: se você precisar sair às 7h e voltar apenas às 22h, o smartphone vai estar mais ou menos com 10% de carga quando você chegar em casa.

O desempenho da bateria até poderia ser melhor, mas o potente processador do celular da Motorola exige muito. E isso faz com que a autonomia fique um pouco aquém do que se espera de um aparelho com 3.760 mAh.

Mas convenhamos: passar o dia todo fora de casa, acessar Facebook, Instagram e WhatsApp, ver vídeos, jogar, ouvir música, tirar fotos e, ainda assim, aguentar o dia inteiro é um feito e tanto do Moto X Force.

Para complementar, a companhia disponibiliza o carregador TurboPower. Ou seja, se você conseguir acabar com a bateria do X Force, em 30 minutos ela estará com 100% da carga novamente.

Conclusão

O Moto X Force tem grande apelo para quem chora só de pensar em gastar milhares de reais num smartphone e ver seu dinheiro ir embora com uma simples queda. A tela do topo de linha da Motorola não quebra se o aparelho for derrubado e, mesmo se quebrar, a fabricante oferece quatro anos de garantia, substituindo gratuitamente o componente danificado.

Mas, tirando esse diferencial, não há muitos motivos para comprar o Moto X Force. Vamos analisar. Em relação ao Moto X Style, que está um nível imediatamente abaixo, você basicamente gastará quase mil reais a mais para:

  • Ter um processador melhor. Mas o Snapdragon 808 é um ótimo chip, que roda qualquer coisa, é mais econômico e tem cabeça fria.
  • Ter o dobro de armazenamento. Lembrando que é possível expandir a memória de 32 GB do Moto X Style com um microSD.
  • Ter uma tela menor. Isso poderia ser uma vantagem para quem não gosta do visor gigante de 5,7 polegadas do Moto X Style, mas não é, já que o aproveitamento de espaço do Moto X Force é pior. Tela menor, aparelho maior.
  • Ter uma bateria maior. No entanto, como vimos, uma capacidade mais alta de bateria não necessariamente se traduz em mais horas fora da tomada.
  • Ter uma tela resistente a trincos e estilhaços. Porém, você receberá em troca um painel de qualidade inferior e mais sensível a riscos.

Por isso, acredito que o custo-benefício do Moto X Style é bastante superior ao do Moto X Force. E mesmo o Moto X Style não é uma compra certa em sua categoria. Por R$ 2.499, a Motorola está competindo diretamente com smartphones como Galaxy S6 e LG G4, que possuem ótimas telas, as melhores câmeras do mercado e desempenho igualmente bom.

Especificações técnicas

  • Bateria: 3.760 mAh;
  • Câmera: 21 megapixels (traseira) e 5 megapixels (frontal);
  • Conectividade: 3G, 4G, Wi-Fi 802.11ac, GPS, GLONASS, Bluetooth 4.1, USB 2.0, NFC;
  • Dimensões: 149,8 x 78 x 9,2 mm;
  • GPU: Adreno 430;
  • Memória externa: suporte a cartão microSD de até 2 TB;
  • Memória interna: 64 GB;
  • Memória RAM: 3 GB;
  • Peso: 169 gramas;
  • Plataforma: Android 5.1.1 (Lollipop);
  • Processador: octa-core Snapdragon 810 de 2,0 GHz;
  • Sensores: acelerômetro, proximidade, bússola, giroscópio, temperatura, infravermelho (gestos), luz ambiente;
  • Tela: AMOLED de 5,4 polegadas com resolução de 2560×1440 pixels e proteção Moto ShatterShield.