A Microsoft apresentou o Lumia 640 XL junto de seu irmão pequeno, o 640, durante coletiva de imprensa que aconteceu em Barcelona, dentro da MWC deste ano. O aparelho entra num mercado que busca competir de frente com fortes nomes como Zenfone e a galinha de ovos de ouro da Motorola, o Moto G. Por aqui há uma tela de 5,7 polegadas, trabalhando em resolução de 1280 x 720 pixels, acompanhada de processador Snapdragon 400 quad-core de 1.2 GHz, 1 GB de RAM e 8 GB de espaço interno. Uma quantidade de números bem semelhante ao que seus concorrentes conseguem. A embalagem segue o mesmo padrão já adotado por vários outros aparelhos da mesma fabricante, ou seja, temos por aqui cores vibrantes e até variantes de cor do dispositivo que sequer estão disponíveis no Brasil – mas que fazem parte do pacote.

nokia-lumia-640-xl-back

Por dentro temos um erro grave da empresa, que vem se repetindo há vários lançamentos: não há fone de ouvido e sequer cabo USB. O único acessório que acompanha a compra é o carregador de tomada, que tem seu cabo próprio e que funciona exclusivamente para carregar a bateria. Se você quer sincronizar dados com o computador ou escutar música sem deixar o som sair pela caixa de som do aparelho, é obrigado a comprar tudo separadamente.

Design e pegada

Em seu design não há nada de novo, ele é muito semelhante aos atuais aparelhos da linha Lumia com tampas intercambiáveis de plástico que podem ser removidas para troca de forma facil, inicialmente ele pode ser encontrado nas cores preto ou branco. Posteriormente, estarão disponíveis tampas traseiras em outras cores nas lojas físicas e online.

Na parte lateral direita podemos perceber os já clássicos botões de controle volume, e a tecla de bloqueio liga e desliga, o botão dedicado para a câmera faz uma enorme falta, pois o aparelho é grande e é ruim demais fotografar, por exemplo, com uma mão só, na parte superior há uma entrada para o fone de ouvido P2, que é a entrada padrão para qualquer smartphone hoje em dia, a propósito, o Unboxing dele é muito decepcionante, pois não acompanha fone de ouvido, somente o carregador e manual de instruções. Também, não podemos reclamar muito nesse aspecto pois o aparelho tem ótimas configurações e o preço já é bem atrativo.

O Windows Phone

A Microsoft escolheu sua versão mais recente do Windows Phone para trabalhar dentro do Lumia 640 XL, ao menos para quando foi lançado (abril de 2015) e, assim como quase que todos os WP 8.1, o Windows 10 para smartphones é mais do que uma certeza por aqui. Dentro do aparelho encontramos um processador Qualcomm MSM8226 Snapdragon 400 rodando quatro núcleos em 1.2 GHz Cortex-A7, acompanhado de 1 GB de memória RAM, GPU Adreno 305 e 8 GB de espaço interno, que pode crescer com mais 128 GB em um cartão microSD. O Windows Phone é conhecido como um sistema operacional móvel dos mais leves e que trabalha bem com hardware fraco, o que não acontece por aqui – temos um hardware mediano, bem acima de aparelhos de entrada. Tudo roda bem, sem travamentos e o mesmo acontece quando há muitos (algo entre três e cinco) apps abertos ao mesmo tempo. Engasgos são raros, mas o Windows Phone entrega um lado lento e travado, que exibe “carregando” até mesmo quando você abre uma tela de menu dentro da área de configurações – teoricamente, este local é um dos mais leves para o aparelho abrir. Não chega a engasgar, mas você espera entre um e dois segundos para a tela abrir.

O visual é exatamente o mesmo que está presente em outros modelos com sistema operacional da Microsoft, independente da fabricante. Temos atalhos que trabalham como widgets (alguns exibem informações extras do app), uma lista de todos os apps instalados no dispositivo (em ordem alfabética) e, desta vez nem tão parecido com outros concorrentes, um grande número de apps pré-instalados. A lista inclui app do Easy Taxi, Hotel Urbano, Facebook e Twitter. Há outros específicos para esta plataforma, como a suíte de mapas do pacote Here, Lumia Ajudas+Dicas (uma espécie de pacote de tutoriais que ensina basicamente tudo do aparelho), Lumia Camera (controles manuais na câmera), Creative Studio (editor de fotos), Moments (editor de vídeos), Selfie (é, para isso mesmo que você pensou) e o Storyteller, que funciona como um álbum com fotos e vídeos de um momento específico. Se você não está de acordo com este montante de apps e quer liberar espaço na memória interna para apps que realmente estão na sua lista de desejo, basta desinstalar (alguns deles, nem todos podem ser desinstalados) e tudo será removido – aprende, Samsung!

Um dos pontos que chamam atenção neste modelo é que ele vem com um ano de assinatura do Office 365, que inclui todo o pacote Office (tanto para smartphones, como para computador e na versão online para navegador), 60 minutos por mês para ligações para telefones no Skype e 1 TB de espaço no OneDrive. Já o aplicativo de selfies chega para dar mais funções para a câmera frontal de 5 megapixels. Se você quer mais resolução, é possível (dentro do app) alterar para a câmera traseira e esperar um aviso sonoro que indica que o rosto está bem alinhado para a foto. É só escutar os bipes e a foto é tirada automaticamente.

O Internet Explorer abre bem os sites, vários deles. Como há 1 GB de memória RAM e uma GPU poderosa, a renderização de páginas é bastante rápida – mas ainda não tão veloz quanto qualquer navegador para Android e iOS, que apresentam a página com mais rapidez, mesmo com hardware semelhante. O navegador permite a navegação por abas e até continuar de onde você parou, no IE do computador – apenas para Windows.

Tela

LCD com suporte a tela glance de 5,7″ HD com resolução(720 x 1280 – 259 ppi), proteção anti-risco Corning Gorilla Glass 3, mesmo com essa proteção eu recomendo muito o uso de uma película, reproduz vídeos em Full HD sem nenhum travamento. Um ponto frustante são as teclas virtuais que ocupam parte da tela, apesar de que é possível oculta-los.

Câmera

Este é outro ponto em que os Lumias 640 e 640 XL diferem um do outro. O primeiro tem câmera frontal de quase 1 megapixel e traseira de 8 megapixels. Já o alvo deste review oferece câmera de 5 megapixels na frente e 13 megapixels atrás.

A câmera traseira conta com lente Carl Zeiss, sensor de 1/3 e abertura de f/2,0. O componente acaba aparecendo de forma levemente protuberante na traseira, mas não é nada que atrapalhe – dá até um certo “charme” ao aparelho.

Na qualidade das imagens, a câmera convence, viu? Este não é o melhor sensor já encontrado em um smartphone, mas as fotos resultantes têm boa fidelidade de cores, níveis baixos de ruído mesmo em ambientes com iluminação mediana e não há pós-processamento excessivo. Só não espere milagres nas fotos noturnas: se você não usar flash, os ruídos aparecerão com força, assim com a dificuldade de foco.

O modo automático consegue fazer as configurações necessárias para a obtenção de boas fotos em variadas condições, mas se você se preocupa com os detalhes, pode recorrer ao sempre ótimo app Lumia Camera para fazer os ajustes devidos (ISO, balanço de branco, velocidade do obturador, etc.).

Na câmera frontal, os 5 megapixels existentes ali indicam que o componente foi preparado para selfies, mas não se anime muito: os ruídos podem aparecer em um nível considerável mesmo quando há bastante luz e os tons de cores não são lá muito realistas. Ainda assim, a câmera se sai melhor do que os sensores com 2 megapixels ou menos largamente encontrados em smartphones.

Confesso que senti falta de um botão físico de disparo. Não é um item essencial, mas seria um acréscimo interessante para um aparelho capaz de gerar fotos com a qualidade que encontramos aqui (em relação à câmera traseira).

Um detalhe curioso: se você visualizar as imagens a partir do Lumia Camera, o app mostrará um vídeo de mais ou menos um segundo do momento que antecede o disparo de cada imagem:

Conclusão

A Microsoft tem intensificado o lançamento de smartphones de custo baixo e intermediário, e deve seguir por esse caminho pelo menos até o lançamento do Windows 10. No meio de todos esses modelos, é de se esperar pelo menos uma opção com tela grande. O Lumia 640 XL está aí para representar a categoria, cumprindo a missão muito bem.

Se por um lado não é das tarefas mais práticas transportá-lo junto ao corpo ou levá-lo à orelha para atender a uma ligação, por outro, as quase seis polegadas do visor realmente tornam mais interessante a visualização de fotos, vídeos e jogos. Esse foi o aspecto mais destacado pelas pessoas que me pediram para ver o aparelho (smartphones grandes já não são novidade, mas a unidade que eu testei, por ser branca, chamou muita atenção).

lumia 640 xl 464656

A boa convivência do Windows Phone com o Snapdragon 400 também é um fator a se considerar. O mesmo vale para os resultados convincentes que as câmeras entregam, especialmente a traseira, muito boa para a categoria.

Mesmo com todos os aspectos positivos, o preço sugerido do Lumia 640 XL no Brasil me pareceu um tanto salgado: R$ 999 (para as versões com e sem 4G). É verdade que o Lumia 1320 – o grandalhão intermediário anterior – chegou custando R$ 1.399. Porém, a quantia sugerida para o 640 XL faz com que a ideia de partir logo para um smartphone mais sofisticado ganhe força, ainda que você tenha que tirar mais alguns reais do bolso para fechar a conta.

Em contrapartida, temos que levar em conta a influência que o dólar alto causa no preço. No lançamento, a Microsoft chegou a dizer que fez o possível para deixar o valor do 640 XL abaixo de mil reais (certamente, a política de não oferecer fones de ouvido e cabo USB junto ao dispositivo faz parte desses esforços).

Felizmente, o varejo não costuma demorar para aplicar seus habituais descontos. Na publicação deste review, eu já conseguia encontrar o Lumia 640 XL em lojas online por menos de R$ 900.

No final das contas, se você se dá bem com o Windows Phone e faz questão de tela grande, estará fazendo uma boa aquisição. Mas, se puder esperar, faça negócio só quando o preço cair ou se você conseguir um bom desconto.

PRÓS

  • A câmera traseira é ótima para a categoria
  • Bom desempenho geral
  • Tela que atende às expectativas

CONTRAS

  • O aparelho é um pouco desconfortável
  • Metade do espaço para dados vem ocupado
  • A bateria poderia durar um pouquinho mais

 

Especificações técnicas

  • Bateria: 3.000 mAh;
  • Câmeras: traseira de 13 megapixels, frontal de 5 megapixels;
  • Conectividade: 3G, 4G, Wi-Fi 802.11n, GPS, NFC, Bluetooth 4.0 e micro-USB 2.0;
  • Dimensões: 157,4×81,5×9 mm;
  • GPU: Adreno 305;
  • Memória externa: microSD de até 128 GB;
  • Memória interna: 8 GB (cerca de 4 GB livres);
  • Memória RAM: 1 GB;
  • Peso: 171 gramas;
  • Plataforma: Windows Phone 8.1 com Lumia Denim;
  • Processador: Qualcomm Snapdragon 400 quad-core (Cortex-A7) com 1,2 GHz;
  • Sensores: acelerômetro, bússola, giroscópio, proximidade e luminosidade;
  • Tela: IPS LCD de 5,7 polegadas com resolução de 1280×720 pixels (259 ppi) e proteção Gorilla Glass 3.