Prós

  • Design bonito
  • Resistência contra água
  • Performance
  • Tela

Contras

  • Câmera frontal poderia ser melhor
  • Preço salgado
  • Pouca capacidade de armazenamento
  • Hardware da geração passada

Depois de um fiasco enfrentado pela LG com o G5 a empresa deu o seu melhor buscando dar o seu melhor no G6, reerguendo então o seu setor mobile, que passou por diversos problemas, para que tudo desse certo nesta nova geração a empresa abandonou o design modular, apostando em um bom conjunto de câmeras e um design renovado e sem nenhum recurso mirabolante. Ele se destaca pelo visor de 5,7 polegadas que domina a parte frontal, continua com as duas câmeras na traseira e agora traz hardware potente, mesmo na versão brasileira.

Design

Não dá para dizer que a identidade visual do design da LG mudou completamente de um ano para o outro, entre o G5 e o G6. Mesmo esses aparelhos tendo sido construídos a partir de materiais bem diferentes, eles ainda compartilham muito na questão da aparência. Talvez o esquema da câmera dupla ajude a manter essa similaridade, mas, em minha opinião, não é só isso.

Sim, o LG G6 é muito mais bonito que o G5, pelo menos não é modular, dando a impressão de um smartphone mais firme e que não desmontará com facilidade

Seja como for, o G6 é bonito. Muito mais bonito que o G5, pelo menos. O design dele é bem sóbrio ao passo que traz uma novidade na parte frontal: a tela com cantos arredondados e que seguem os cantos da própria carcaça.

Outro ponto que deve ser tratado é a qualidade de construção. O G6 é bem rígido e passa a impressão de ser um smartphone resistente, mesmo tendo sua traseira construída em vidro curvado. Nessa parte, temos Gorilla Glass 5, enquanto a proteção do display em si é Gorilla Glass 3.

Contudo, a integração entre esses materiais não é perfeita. Passando o dedo na moldura, você nota que os cantos não são tão lisos quanto no Galaxy S8, por exemplo. Ainda assim, o produto da LG, bem como o da Samsung, é a à prova d’água.

Tela

A tela é um dos pontos mais inovadores do LG G6. O formato é incomum, jamais visto em outro smartphone. Se trata de um painel IPS com 5,7 polegadas e resolução de 2.880 x 1.440 pixels, conhecido como QHD+, uma variante com maior resolução do que o QHD convencional. A proporção de tela é de 18:9 (ou 2:1), ao invés do padrão 16:9.

Outra novidade presente no modelo são os cantos da tela arredondados. Essa característica está presente nos quatro cantos do painel, e sua finalidade, além do visual estético, é fazer com que a navegação por toque seja mais intuitiva de alguma forma.

Outra característica à frente do nosso tempo é ser o primeiro smartphone com Dolby Vision. Essa é apenas uma das tecnologias de HDR disponíveis no mercado e, além da tela, o conteúdo precisa estar preparado para exibir cenas de maior alcance dinâmico. No entanto, apenas Netflix e Prime Video anunciaram o suporte ao Dolby Vision, sendo que a Netflix nem sequer havia atualizado seu aplicativo nos meus testes — por isso, eu não tenho como dizer se isso realmente faz alguma diferença.

Fato é que, mesmo sem embarcar no AMOLED em smartphones, a LG continua fazendo um ótimo trabalho em telas.

Software

O LG G6 vem de fábrica rodando com Android 7.0 Nougat e a nova interface LG UX 6.0. Essa nova versão da skin da LG foi totalmente adaptada para o G6, visando otimizar ainda mais a função multitarefa com a tela de novo formato. O software está rodando liso e de forma suave. Também devemos dizer que essa versão está ainda mais minimalista.

Além da Play Store, outros aplicativos do Google estão presentes, como Google Docs, Google Drive, Google Play Music, o Google Play Movies, Google Duo, Android Pay e muito mais. A LG traz funções e apps básicos, como o rádio FM, o LG Switch Mobile Software (para copiar dados e aplicativos do telefone antigo), LG Smart Mundial (uma loja para mais temas, papéis de parede e aplicativos, em sua maioria gratuitos), e Limpeza inteligente (um aplicativo que otimiza memória RAM e bateria). Apps de terceiros temos: Evernote, Instagram e Facebook.

A navegação pelo sistema é feita através dos botões virtuais. O botão de home, quando pressionado por alguns segundos, ativa o Google Assistant. O software do G6 traz características interessantes, como compartilhamento da internet com outros smartphones pelo protocolo WLAN, o ajuste da escala de tela (como explicamos no tópico acima), uma função Always-On, além de um utilitário que desabilita aplicativos selecionados por até 24 horas para serem ativados rapidamente em outro momento.

Bateria – muito tempo longe da tomada

O LG G6 consegue ficar um dia inteiro longe das tomadas sem nenhum tipo de preocupação, e, caso você economize, dá para chegar a um dia e meio com um bom esforço. Isso quer dizer que, se a sua rotina for longa e incluir algumas horas de aula noturna ou, às vezes, um happy hour, o G6 não vai te deixar na mão.

No nosso teste de execução contínua de vídeo, ele conseguiu aguentar 11 horas e 6 minutos. Note que utilizamos uma amostra de material no YouTube com 1 hora exata de duração. Nesse intervalo, fazemos três medições e, em seguida, extrapolamos o resultado final baseado no consumo do período do vídeo. Essa autonomia foi exatamente a mesma do Xiaomi Mi Note 2, muito parecida também com a do Galaxy S8.

Áudio

A versão coreana do G6, assim como o V20, vem equipada com um chip de áudio 32-bit, o Sabre 32 Quad DAC ES9018S, desenvolvido em parceria com a ESS Technology. Isso garante alta qualidade sonora e também oferece suporte a mais formatos sem perdas de áudio (FLAC, DSD, AIFF e ALAC). Infelizmente, este chip não é o mesmo presente na versão americana ou europeia do LG G6.

O alto-falante é mono, mas oferece uma qualidade de áudio interessante. O volume, quando alto, não distorce o som e nem faz com que sua clareza seja inferior.

Talvez, o ponto negativo do alto-falante seja seu posicionamento na parte inferior do aparelho, onde é possível abafá-lo facilmente com as mãos. Isso acontece especialmente quando algum jogo ou vídeo é reproduzido em modo horizontal. Neste caso, quando o speaker é coberto, o som é completamente afetado, visto que o mesmo não conta com uma segunda saída auxiliar.

O som emitido pelo fone de ouvido que acompanha o G6 não decepciona. O volume máximo não é baixo. No aplicativo de música existe um equalizador com alguns perfis pré-definidos, mas é possível configurá-los manualmente.

Câmera

A câmera dupla do G6 continua com a lente normal e a grande angular do G5, mas houve um avanço impressionante na qualidade da fotografia. Agora, ambos os sensores de imagem têm resolução de 13 megapixels, diferente do smartphone anterior, que tinha um componente inferior para a grande angular, prejudicando bastante as capturas em condições de baixa iluminação.

Para avaliar as câmeras do G6, preciso levar em conta fatores subjetivos e objetivos. O subjetivo é que o pós-processamento da LG continua agressivo demais para o meu gosto: há uma tentativa de forçar cores na vegetação ou no céu, que chega a ficar artificialmente azulado até quando o dia está nublado. Além disso, a câmera suaviza as cenas ao ponto de dar um “efeito aquarela”, perdendo detalhes de objetos.

 

 

Em termos mais objetivos, a câmera com lente normal do G6 (f/1,8) tira fotos com bom alcance dinâmico, baixo ruído e nível de detalhes decente mesmo em ambientes com iluminação ruim. A grande angular (f/2,4) não tem estabilização ótica e também sofre um pouco mais para capturar informações e manter o ruído sob controle. A qualidade da imagem é visivelmente inferior, havendo presença de aberrações cromáticas, mas o “abismo” é bem menor que nas câmeras do G5 SE.

Especificações técnicas

  • Bateria: 3.300 mAh;
  • Câmera: 13 megapixels (traseira) e 5 megapixels (frontal);
  • Conectividade: 3G, 4G, Wi-Fi 802.11ac, GPS, GLONASS, BDS, Bluetooth 4.2, USB-C, NFC, rádio FM;
  • Dimensões: 148,9 x 71,9 x 7,9 mm;
  • GPU: Adreno 530;
  • Memória externa: suporte a cartão microSD de até 2 TB;
  • Memória interna: 32 GB;
  • Memória RAM: 4 GB;
  • Peso: 163 gramas;
  • Plataforma: Android 7.0 Nougat;
  • Processador: quad-core Snapdragon 821 de 2,35 GHz;
  • Sensores: acelerômetro, proximidade, giroscópio, bússola, barômetro, impressões digitais;
  • Tela: IPS LCD de 5,7 polegadas com resolução de 2880×1440 pixels e proteção Gorilla Glass 3.

Conclusão

A LG corrigiu os principais problemas da geração passada, as duas câmeras traseiras são capazes de tirar fotos de boa qualidade, o hardware não foi capado no mercado brasileiro, o design está mais refinado e não há mais os módulos pouco interessantes e mal executados do antecessor. O G6 é o que o G5 deveria ter sido desde o começo.

Mas não há como ignorarmos o preço do aparelho extrapola bastante a realidade Brasileira, inicialmente por R$ 3.999. O valor cobrado pela LG não só é alto demais: é simplesmente errado. É o mesmo preço do Galaxy S8, que é um produto superior em todos os quesitos, trazendo câmera melhor, processador melhor, tela melhor e capacidade de armazenamento decente. O G6 é um belíssimo concorrente do Galaxy S7, mas não há nem o que pensar em uma disputa com o rival mais recente da Samsung.

Quando o G6 estiver sendo vendido por um preço decente, quem sabe na casa dos R$ 2,5 mil, ele estará valendo a pena sim. Isso porque ele tem uma ótima autonomia de bateira, câmeras capazes de fazer fotos surpreendentes e um monte de outras qualidades. Mas, por enquanto, ele é o grande concorrente do S8 que você não deveria comprar. Nem ele, nem o S8.

  • Brotherhood of HUE

    Tinha um LG G4, mas os problemas de Boot Loop e Ghosting (causados pela tela IPS) me fizeram desistir dele, hoje estou com o S7.

    PS: fiquei impressionado em saber que o S7 não segura quase nada em segundo plano, mesmo com 4gb de ram, em relação ao LG G6, que segurava tudo, o S7 nesse caso, apanhou feio.

    • Esse ponto do Galaxy S7 realmente é uma surpresa até para nós, não sabíamos desse problema, vamos rever isso em um que temos na redação

      • Brotherhood of HUE

        Ah, fiz novamente um outro teste aqui, mas sem estar no modo de economia de bateria (onde um dos recursos, é ele limitar a 70% o uso do processador), e aparentemente, ele segurou bem na hora de alternar entre os apps abertos, deixei uma aba no chrome, youtube, telegram, whatsapp, dois apps de gerenciador de arquivos, e outros mais leves. Ele segurou todos na hora de voltar do segundo plano.

        • Então pelo visto realmente é o recurso de economia de bateria, menos mal, mas mesmo assim o aparelho é ótimo, e o software esta bem configurado e livre de bugs, aqui também ele segurou bem os aplicativos em segundo plano, somente mesmo no modo de economia de bateria que el fechou

          • Brotherhood of HUE

            Pois é, estou muito satisfeito com o S7. A Samsung acertou em cheio na construção desse aparelho!

          • Com certeza é uma batia aparelho, até mesmo o S6 ainda vale muito o investimento, mas não em seu lançamento pois o custo-beneficio de um recém lançado no Brasil não existe (Tem review do S8 pra amanhã o/)

          • Brotherhood of HUE

            Exato! É muito mais negócio esperar pelo menos 6 meses, porque o preço despenca praticamente 50%!

            Então estou à espera do Review do glorioso (porém frágil devido à tela Edge) S8!

          • Frágil ate que não, mas não tivemos coragem de testar KKKKK mas escorregadio sim

  • Tom

    Otimo aparelho, essa semana brinquei com um S8 e adorei esse formato de tela 2:1, e grande e compacto ao mesmo tempo, na Tim em planos pós pago está com preço bom, esse preço que a LG está cobrando sem chance.

    • LG está fora de rumo com o preço deste aparelho, e ainda assim sem brindes, lá fora é muito mais barato e vem com diversos brindes inclusos

  • jairo

    Acredito que o divisor será o V30 , o G6 não me atraiu

    • O problema do G6 é o preço, a LG perdeu o rumo nele da msm forma que foi com o G5