Design

Para quem vê de longe, o LG G3 e o LG G4 podem parecer o mesmo aparelho. A empresa optou por manter um visual muito semelhante ao do antecessor, especialmente pelo fato de que o LG G3 agradou bastante aos consumidores quando foi lançado. A principal novidade da companhia nesse quesito ficou reservada para o acabamento.

 

Mais refinado nas laterais, o LG G4 chega às lojas internacionais com nove opções de acabamento. Há seis delas com a tampa traseira de couro, nas cores marrom, preta, vermelha, amarela, azul e bege; e outras três com tampa traseira de plástico, nas cores cinza, branca e dourada. No Brasil, apenas quatro dessas nove versões serão disponibilizadas: tampa traseira de couro na cor marrom e tampa traseira em plástico nas cores cinza, branca e dourada.

A tampa traseira de couro, sem dúvida, é a que mais chama a atenção. Sua construção é de plástico, como as demais, mas a carcaça conta com um revestimento de couro de verdade. A logo do G4 pode ser vista no canto inferior em baixo relevo e uma costura corta verticalmente o meio do produto. Já a versão com a tampa traseira de plástico ganhou uma textura em baixo relevo, com quadrados dispostos em diagonais, revelando um visual moderno.

O LG G4 não conta com nenhum tipo de certificação que o torne resistente à água ou poeira, portanto nada de molhar o aparelho. A tampa traseira continua sendo removível e os botões power e os controles de volume continuam situados na parte traseira do produto. Em termos de linhas de design, a tela ganhou uma leve curvatura, o que faz com que a pegada se torne mais anatômica. Com isso, o aparelho se encaixa melhor no rosto durante as ligações.

Quem já conta com um LG G3, certamente vai notar as diferenças sutis entre os dois aparelhos. Entretanto, aqueles que estavam esperando mudanças mais drásticas ficarão decepcionados. Ainda assim, apesar das semelhanças, o LG G4 consegue mostrar a sua personalidade em alguns detalhes de acabamento e se mostra um celular agradável para o manuseio.

Tela

Com o G3, a LG foi a primeira fabricante de smartphones a oferecer uma tela com resolução QHD (2560 x 1440p). Agora, com o LG G4, a companhia manteve as mesmas características, mas utilizando o padrão de cor DCI (Digital Cinema Initiatives), que reproduz cores de forma mais natural que o padrão sRGB, usado na maioria dos outros smartphones presentes no mercado.

lg-g4-review-arena4g

Os ângulos de visão da tela do LG G4 são muito bons, o brilho também chama a atenção pela qualidade (embora fique um pouco abaixo do concorrente Galaxy S6). A tecnologia usada na tela do G4 é a LCD IPS, portanto, o preto não é tão profundo quanto nas telas AMOLED, como no LG G Flex 2, por exemplo, mas isso não faz a tela inferior de um modo geral.

O display LG G4 chega a até 98% de reprodução de cor DCI, sacrificando a saturação por cores mais sutis. Embora não seja tão atraente quanto uma tela AMOLED, pelo menos mantêm a impressão original das cores das imagens capturadas com a câmera mais próximas da realidade.

lg-g4-Arena4G

É sempre impressionante ver a superação da tecnologia usada por uma fabricante em um modelo mais recente da linha principal quando se imaginava que nada poderia ser melhor que a do modelo anterior. Apesar de parecer uma tarefa difícil superar a qualidade da tela do G3, a fabricante sul-coreana provou com o G4 que tornar a exibição melhor em relação à luminosidade e reprodução de cores ainda é possível.

Desempenho

A nova geração de smartphones que chega em 2015 ao mercado traz consigo uma característica interessante: todos os novos aparelhos, sem exceção, serão capazes de rodar com muita tranquilidade tudo o que estiver disponível na Play Store. Esse cenário deve levar à seguinte situação: na prática, desempenho deixará de ser um item fundamental.

O LG G4 não é diferente. Em termos absolutos de processamento, ele fica abaixo do Galaxy S6, por exemplo, mas isso de forma alguma pode ser considerado um problema. Em nossos testes de desempenho, o aparelho rodou absolutamente tudo o que testamos, sem travamentos ou algum tipo de lentidão para abertura de aplicativos.

Jogos que requerem maior capacidade de processamento gráfico, além de filmes e séries via Netflix, rodaram de forma suave e sem problemas. Usando redes sociais e mensageiros, o resultado não foi diferente. O chipset Snapdragon 808 se mostra bastante equilibrado, garantindo a potência necessária e esquentando muito pouco durante o seu funcionamento.

Junto com 3 GB de RAM, o conjunto é responsável por garantir que tudo flua com naturalidade. O consumo de RAM raramente ultrapassa os 2 GB, o que torna o hardware mais do que suficiente para todas as tarefas. Em relação ao LG G3, a evolução é nítida, mas novamente é preciso mencionar: mesmo o G3 é capaz de desempenhar bem todas as funções a que é submetido.

Na prática, se você está em busca de mais desempenho, trocar o LG G3 pelo LG G4 talvez não justifique o investimento. Há evolução, mas é possível que a relação custo-benefício acabe não compensando no final das contas.

Bateria

A LG foi inflexível ao adicionar a bateria de 3.000mAh no LG G4, mesmo que isso tivesse uma consequência negativa no design do aparelho. A desculpa de uma bateria acima da média também foi dada como uma das razões pelas quais a empresa optou pelo processador de seis núcleos Snapdragon 808.

No entanto, com base do meu tempo com o LG G4, posso dizer que a bateria não é assim tão impressionante. Usando o telefone moderadamente – para fazer alguns telefonemas, assistir vídeos por cerca de meia hora (mas usando o brilho da tela no máximo), tive pouco menos de 18 horas de uso do aparelho antes que ele precisasse de uma recarga.

O maior consumo da bateria se deu por causa do uso do Facebook, imediatamente seguido pela tela. Já esperava ver a tela como uma das grandes vilãs do consumo de energia do G4, especialmente por causa da sua resolução QHD, porém acredito ter ficado acima daquilo que considero normal. Utilizando o recurso de avisos inteligentes e um monitor de bateria nativo bastante útil, é possível selecionar rapidamente os aplicativos que estão monopolizando a bateria e fechá-los.

Duas semanas depois do lançamento oficial do LG G4, a fabricante confirma que o smartphone oferece suporte para a tecnologia de carregamento rápido da Qualcomm. Agora já é possível encontrar o G4 na lista de dispositivos que contém o recurso Quick Charge 2.0 no site da Qualcomm. Contudo, assim como a Motorola fez com o carregador Turbo, inicialmente a LG não vai oferecer o adaptador do kit do dispositivo, será necessário comprar o carregador de terceiros. O pessoal do Pocketnow testou o recurso de carregamento rápido no G4 e, de acordo com o teste, o aparelho carregou 16% em 12 minutos e 25% e 19 minutos. A Qualcomm afirma que a tecnologia de carregamento rápido 2.0 carrega a bateria de 0 à 60 em apenas 30 minutos.

Câmera

A câmera do LG G4 possui um sensor de 16MP, mas o que realmente impressiona aqui é a abertura focal f/1.8 e o estabilizador de imagem OIS 2.0. Em outras palavras, o que você precisa saber é que a câmera do LG G4 capta mais luz e também oferece uma boa margem de uso do hardware para aqueles que possuem as mãos um pouco mais trêmulas, evitando imagens borradas em imagens e vídeos.

Mais do que qualquer outra fabricante, a LG fez com que a câmera do G4 oferecesse um bom modo manual para quem realmente quer deseja tirar mais proveito do hardware. Para este fim, existe um modo manual acessível próximo ao padrão automático e um modo de simples – em que ao tocar em qualquer lugar na tela é possível capturar uma foto. O modo manual está repleto de opções, permitindo mudar o ISO, a velocidade do obturador e a profundidade de foco da câmera do LG G4. Você também pode alterar a temperatura de cor, e até mesmo salvar fotos no formato RAW – ótimo para fotógrafos profissionais que fazem seu próprio processamento de imagem.

A câmera possui um “sensor de espectro de cores” (CSS), próprio da LG, em vez de um flash duplo de LED. Esta tecnologia, em conjunto com a tela do aparelho, mede as condições de luz do ambiente e determina o ponto de branco da uma imagem correspondente. Em bom português, isso quer dizer que as cores nas fotografias ficam mais equilibradas, sem colorações amarelas ou azuis apresentadas por algumas câmeras disponíveis no mercado. O sensor também faz um bom trabalho em relação à representação das cores de forma natural, como você verá na galeria de imagens abaixo.

Na melhor das hipóteses, as fotos tiradas com a câmera LG G4 serão espetaculares, irão capturar um nível de detalhes similar apenas à câmera do Galaxy S6. As fotos feitas em ambiente com pouca luz ou à noite, terão um grande número de detalhes mesmo sem a utilização do flash.

Se você quer saber se a câmera do LG G4 bate a do Galaxy S6, posso dizer que com base no meu teste, ainda falta um pouco para tanto. Porém, apenas em um comparativo direto poderei oferecer uma prova concreta neste sentido.

Câmera frontal

Não foi apenas a câmera traseira que ganhou atenção especial por parte do fabricante. A câmera frontal, cada vez mais popular por conta das selfies, chegou aos 8 megapixels de resolução no LG G4 – a maior entre modelos disponíveis na atualidade.

O recurso Quick Selfie, em que basta abrir e fechar a mão diante da câmera para ativar o disparo, continua presente. Entretanto, há uma novidade interessante para aqueles mais perfeccionistas. Se você fizer esse mesmo movimento duas vezes seguidas, a câmera é disparada quatro vezes, permitindo que você escolha o melhor retrato entre as opções disponíveis.

Software

Não há mudanças significativas em termos visuais no software do LG G4. Utilizando a versão 5.1 do Android, a empresa optou apenas por refinar ícones e menus, deixando o estilo ainda mais sintonizado com a linha Material Design implantada no Lollipop. Comparado a outros lançamentos da empresa, há menos softwares embarcados e quase não duplicidade de aplicativos (há apenas um browser nativo em vez de dois, por exemplo).

Continua sendo possível usar o celular como controle remoto da TV, e de novidade mesmo há um pacote de ícones que permite atalho direto a funções de controle de bateria e armazenamento do celular. Deslizando os dedos para a direita, a última tela revela um acesso rápido ao Smart Bulletin, uma espécie de central com porta de entrada para todos os softwares que a empresa inclui no celular.

Nele vem ainda o recurso Smart Settings, que permite habilitar algumas configurações pré-definidas, fazendo com que o celular se adapte ao ambiente em que você se encontra. Você pode definir, por exemplo, que, ao se conectar ao WiFi da sua residência, seja alterado o perfil de som do aparelho. São pequenos ajustes que, uma vez configurados, diminuem a sua necessidade de realizar ações com o celular.

Especificações

TIPO: Smartphone
DIMENSÕES: 148,9 x 76,7 x 9,8 mm
PESO: 155 g
BATERIA: 3000 mAh
TAMANHO DA TELA: 5,5 polegadas
TECNOLOGIA DA TELA: LCD
TELA: 2560 x 1440 pixels (534 ppi)
CÂMERA FRONTAL: 8 megapixels
CÂMERA TRASEIRA 16 megapixels
FLASH: LED
VERSÃO DO ANDROID: 5.1 – Lollipop
RAM: 3 GB
MEMÓRIA INTERNA: 32 GB
MEMÓRIA REMOVÍVEL: microSD
CHIPSET: Qualcomm Snapdragon 808
NÚCLEOS 6
VELOCIDADE MÁX. 1,8 GHz
CONECTIVIDADE HSPA, LTE, NFC, Bluetooth 4.1

Vale a pena?

 

O LG G4 é um telefone fantástico e traz as melhorias necessárias em termos de desempenho, qualidade da câmera e da tela, o que o torna um sucessor digno do LG G3. É maior e mais pesado que qualquer outro carro-chefe do mercado, o que pode atrair ou afastar algumas pessoas.

Porém, se você quer saber se o LG G4 o melhor smartphone do mundo, acredito que não. A Samsung veio realmente apostando tudo neste ano com o Galaxy S6 e o Galaxy S6 Edge, e esses dois telefones continuam superiores ao LG G4 em relação ao desempenho, à câmera e ao design.

A tela do LG G4 é arrojada e bonita, e o design único do aparelho – em particular a versão de couro – pode muito bem atrair fanáticos usuários do Android que pensam que o Galaxy S6 se parece demais com os dispositivos da Apple. O G4 pode não dispor de recursos inovadores ou revolucionários, mas ainda assim se manterá na nossa lista de melhores smartphones Android em 2015.