Quanto é muito?

A forma como a sociedade de hoje depende da tecnologia é como oxigênio para um par de pulmões. Sem aquela lufada constante de ar fresco, não saberíamos como funcionar.

Como parte da Geração Z, a tecnologia avançou rapidamente desde que tive contato com uma tela pela primeira vez. Meu primeiro robô que me lembro foi um iPod nano rosa que eu levava comigo no ônibus para a escola todos os dias. Meu vizinho e eu pegamos um fone de ouvido e cantamos os doces hinos de Justin Bieber. Mas foi essa primeira interação com um dispositivo touchscreen que mudou o futuro dos jogos para sempre.

Avançando para a Black Friday em 2011, o iPod touch de 4ª geração foi lançado oficialmente um mês antes; Foi o primeiro iPod a oferecer uma câmera frontal e traseira. A “selfie” nasceu oficialmente e eu precisava que minha cara de pato fosse capturada. Economizei meu dinheiro de bolso em uma meia e estava em uma missão para adquirir este produto do Santo Graal enquanto está à venda no Walmart local. Mal sabia eu que essa compra mudaria minha vida e eu nunca mais veria o mundo sem um aparelho na mão.

Sinto-me antigo pensando em como vivi quase metade da minha vida sem pop-ups de notificação na tela, especialmente quando comparado à juventude de hoje. A dependência tecnológica da Geração Alfa não pode ser negligenciada. A paternidade foi simplificada quando os gadgets entraram em cena; Afinal, é mais fácil tranquilizar uma criança mostrando-lhe um iPad do que procurar outras soluções que ela achará mundanas. Mas quais serão as consequências dessa obsessão eletrônica quando essas crianças se tornarem adultos?

As crianças são inocentes, imaginativas e têm um desejo constante de descobrir coisas novas. A criatividade corre pelos seus ossos neste breve período da vida. Estar colado a uma tela obstrui o fluxo e o retarda à medida que atingem a idade adulta. Isso pode levar a uma infinidade de problemas no futuro – se não tivermos mentes inovadoras, não haverá inovação e logo estaremos atolados na lama.

A tecnologia traz dezenas de benefícios e é inegável que estes irão aumentar com o tempo e acredito que beneficiará as gerações mais novas. As crianças devem se sentir confortáveis ​​usando a tecnologia para poder controlar suas transformações, mas acho que é melhor usá-la com moderação. Deve haver um equilíbrio entre acompanhar nosso mundo em avanço e explorar o mundo exterior para manter uma mente curiosa. As crianças são crianças, mas também são o nosso futuro e é nosso trabalho dar-lhes uma base intelectual.

escrever para Mercedes Kauphusman em [email protected]

By Carlos Henrique

"Introvertido amigável. Estudante. Guru amador de mídia social. Especialista em Internet. Ávido encrenqueiro."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *