O Pentágono está testando uma tecnologia de micro-ondas de alta potência para combater ameaças de drones

O Escritório Conjunto de Sistemas de Aeronaves Não Tripuladas Contra-Pequenas do Pentágono concluiu o teste de uma tecnologia de micro-ondas de alta potência chamada sistema Epirus, que pode desativar vários drones ao mesmo tempo. de acordo com um relatório a partir de Mensagens de defesa publicado na quarta-feira.

Testando as emissões do efetor

Esta não é a primeira demonstração da tecnologia pelo Pentágono. Realizou mais duas ano passado na primavera e no outono. Este último teste ocorreu por uma semana inteira de 4 a 22 de abril no Yuma Proving Ground, no Arizona.

“O foco principal do nosso foco nesta primeira semana para microondas de alta potência foi quão bem o efetor emite”, disse Michael DiGennaro, líder da equipe de teste da divisão de aquisições e recursos da JCO, durante uma sessão de mídia em 11 de maio.

“Analisamos o alcance para engajar os alvos que chegam e o tempo que leva para deter ou derrotar o alvo.”

DiGennaro acrescentou ainda que tO sistema Epirus provou ser bem-sucedido em suas atividades atribuídas e “foi capaz de derrotar alvos no alcance normalmente associado ao que está atualmente em campo e promete ser um pouco mais eficaz no futuro”.

Contra pequenos UAS

O Pentágono também avaliou tecnologias que poderiam neutralizar pequenos sistemas aéreos não tripulados (UAS) e selecionou de um total de 25 white papers enviados para o processo. As cinco empresas selecionadas foram Anduril Industries, Black Sage, CACI (California Analysis Center, Inc), Rafael Systems Global Sustainment e SAIC (Science Applications International Corporation).

“Tínhamos cinco arquiteturas muito complexas por aí”, disse DiGennaro. “Cada um deles trouxe consigo uma variedade de componentes diferentes para detecção, identificação, rastreamento e contramedidas, e testamos cada um desses componentes individualmente e depois como um sistema, culminando em um cenário de ‘Base Avançada de Defesa’.”

Esses exercícios militares resultaram na coleta de dados importantes que serão posteriormente compartilhados com o Departamento de Defesa.

By Carlos Henrique

"Introvertido amigável. Estudante. Guru amador de mídia social. Especialista em Internet. Ávido encrenqueiro."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *