O cientista explica que usamos o caminho mais longo para calcular um dia na Terra

0
37

Desde cedo aprendemos na escola que o movimento de rotação da Terra, aquele que ela realiza sobre si mesma, é o que garante que tenhamos a divisão entre o dia e a noite, dependendo da incidência do Sol. Na verdade, aprendemos que essa rotação leva 24 horas para ser concluída.

No entanto, por outro lado, a Terra leva 23 horas e 56 minutos para completar uma volta de 360 ​​graus. Aprendemos o caminho mais longo, dos dois que existem, para medir essa rotação.

Afinal, um dia na Terra tem 23 horas e 56 minutos?

Todos os nossos relógios estão prontos para mudar o dia, assim que as 24 horas forem atingidas. No entanto, se formos rigorosos, o dia pode terminar um pouco antes disso. Isso ocorre porque existem duas maneiras de medir os dias em Terra, e usamos o mais longo.

Nós, humanos, escolhemos calcular um dia na Terra por meio da posição do Sol no céu. Assim, o dia tem 24 horas. Por sua vez, existe outro que define as horas do dia através da rotação exata do planeta. Assim, a Terra completa 360 graus após 23 horas e 56 minutos.

Dois métodos de medição: dia solar e dia sideral

Além de serem métodos de medição desiguais, eles são apelidados de maneiras diferentes. Primeiro, o dia solar, que, sendo baseado na posição do Sol, é o que usamos diariamente, com mais 4 minutos. E em segundo lugar, o dia sideral, concluído após exatamente 360 ​​graus de rotação.

É apenas porque nos movemos em torno do Sol em uma órbita que o dia solar leva 24 horas. Se não orbitássemos o Sol, os dois dias seriam iguais.

Explicou James O'Donoghue, cientista planetário da agência espacial japonesa (JAXA)

Além da explicação, o cientista preparou uma animação para elucidar, de forma mais clara, a existência de ambos os métodos de medição.

Assim, criamos nossos calendários 365 dias por ano, a partir dos dias solares. Porém, se levarmos em conta os dias siderais, os calendários seriam 366 dias.

Como disse o cientista, as duas formas de medição se devem ao fato de que, em uma medimos a rotação da Terra em relação ao Sol, dia solar, e na outra medimos em relação a todas as outras estrelas, sideral dia.

Dito isso, O'Donoghue revelou que se usássemos o sideral, o dia começaria 4 minutos antes. Após 6 meses, o sol nasceria 12 horas mais cedo do que estamos acostumados.

Leia também:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here