Natural da Virgínia, ele vive o programa de sobrevivência “Naked and Afraid” – The Virginian Pilot

O que foi mais desafiador para Janis Holcombe – ser comida praticamente viva por insetos durante três semanas em uma região subtropical da América do Sul, ou esperar quase um ano para que o programa de sobrevivência sobre sua experiência fosse ao ar?

O homem de 38 anos, que cresceu no condado de Stafford, passou 21 dias no sudoeste da Guiana, na fronteira da Amazônia brasileira, em maio passado, para filmar um episódio de “Naked and Afraid”. A estreia será no domingo, 2 de abril, às 20h, no canal Discovery.

Ela não pode falar sobre como ela e Viktor Kuhn, outro paramédico, se saíram, além de dizer que picadas de insetos cobriram cada centímetro de sua carne enquanto ela estava no local e ela ainda tem algumas cicatrizes delas.

“Onde quer que estivéssemos, havia os insetos”, disse ela em entrevista por telefone na segunda-feira. “Nós éramos o crush. Até a equipe sentiu isso e eles tinham roupas luxuosas de primeiro mundo e qualquer coisa que pudessem usar como barreiras. Foi difícil.”

Mas, como muitos programas que testam a capacidade de uma pessoa sobreviver na selva – e neste caso sem roupas ou sapatos – o problema se transformou em mental.

“Eu sabia que havia uma luz no fim do túnel quando se tratava dos insetos”, disse ela, mas inicialmente sem saber quando o programa iria ao ar, “e ter que manter isso em segredo nesse meio tempo foi definitivamente irritante”. “

Holcombe mora em Santa Fé, Novo México, mas retornará à área de Fredericksburg em 2 de abril para uma festa de velório na Maltese Brewing Company no condado de Spotsylvania.

Seu episódio é intitulado “A Taste of Their Own Medicine” porque, pela primeira vez na história da série, dois membros da equipe tentaram sobreviver 21 dias em um ambiente hostil.

Holcombe trabalhou em vários episódios de Naked and Afraid como parte da equipe próxima, pronta para avaliar a situação quando alguém está quase exausto, infectado ou faminto. Ela também é uma paramédica de voo.

Como socorrista de emergência em programas de sobrevivência ou na vida cotidiana, ela não estava exatamente em seu radar 20 anos atrás, quando se formou na Colonial Forge High School, em Stafford.

Holcombe queria ser um jornalista investigativo. Mas depois de obter um diploma de bacharel em arte e design de mídia pela James Madison University, ela não conseguiu encontrar um emprego em lugar nenhum.

Seus pais, Laurie e o falecido Bob Holcombe, foram voluntários no Aquia Harbor Rescue Squad. Janis Holcombe tornou-se uma paramédica voluntária para esperar seu tempo “e se apaixonou por ela”.

A medicina de emergência tornou-se sua nova carreira e ela trabalhou ao lado do Departamento de Bombeiros, Resgate e Gerenciamento de Emergências do Condado de Spotsylvania. Ela teve algumas outras experiências pessoais, incluindo um erro médico quase fatal, sobre o qual ela também não pode falar, e elas mudaram a maneira como ela pensava.

“Decidi aproveitar todas as oportunidades que despertavam meu interesse”, disse ela, incluindo maratonas e corridas espartanas.

Na mesma época, ela percebeu que “Naked and Afraid” estava procurando por médicos e se inscreveu. Ela acabou servindo na equipe médica para segmentos na Louisiana, Peru/Amazônia, Montana e Novo México. Com este último, ela se apaixonou pela “Terra do Encantamento” e mais tarde se mudou para lá.

De acordo com Holcombe, enquanto as equipes de filmagem se refugiam em hotéis com ar-condicionado ou aquecimento à noite e deixam os dois sobreviventes por conta própria, um paramédico está sempre por perto.

“Estamos em um acampamento longe o suficiente para não interferir no desafio, mas perto o suficiente para que possamos carregá-lo até lá”, disse ela sobre os participantes que usam um sinal de socorro para pedir ajuda.

A equipe médica também traz sua própria comida, mas não a grelha em fogo aberto, pois isso “criaria odores que passariam para aqueles” que precisam procurar por si mesmos.

“Não podemos nem beber água na frente deles”, disse ela, por causa do efeito desmoralizante que isso poderia ter.

Durante seu primeiro passeio com a equipe, ela e outros médicos brincaram que seria legal estar do outro lado da experiência. Pensando que parecia uma ótima ideia, ela se inscreveu como todos os outros e acabou sendo combinada com Kuhn, que também é guarda florestal da África do Sul.

Boletim de fim de semana

Semanalmente

Acompanhe as últimas notícias de entretenimento e artes e planeje seu fim de semana olhando para o que está acontecendo em Hampton Roads.

Mesmo se ela tivesse sido uma paramédica em seu episódio, ela disse que o tempo que passou na região de Rupununi, na Guiana, teria sido “o ambiente mais brutal em que já estive”, mas ela voltaria em um piscar de olhos.

“Eu faria 100% de novo, mesmo que soubesse o que sei agora sobre esse desafio em particular, ainda assim me inscreveria”, disse ela. “Isso me mudou mentalmente, fisicamente, espiritualmente e emocionalmente e estou muito feliz por ter feito isso. Eu definitivamente voltaria para comprar outro, de preferência não em uma área infestada de insetos.”

Cathy Dyson: 540/374-5425

___

(c) 2023 The Free Lance-Star (Fredericksburg, Virgínia)

Visite The Free Lance Star (Fredericksburg, Virgínia) abaixo www.fredericksburg.com/flshome

Expulso de Tribune Content Agency, LLC.

By Gabriel Ana

"Passionate student. Twitter nerd. Avid bacon addict. Typical troublemaker. Thinker. Webaholic. Entrepreneur."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *