Marrocos deveria vencer a Copa Africana de Nações antes de pensar na Copa do Mundo, diz Boufal

17 Abr (Reuters) – O Marrocos, semifinalista da Copa do Mundo, que se tornou o primeiro time árabe a vencer o Brasil no mês passado, deve se concentrar em vencer a Copa Africana de Nações do ano que vem antes de sonhar com a glória na Copa do Mundo de 2026, disse o ala Sofiane Boufal.

Marrocos foi a história surpresa no Mundial do ano passado no Qatar, ao bater Bélgica, Espanha e Portugal a caminho das meias-finais, levando o treinador Walid Regragui a revelar a sua vontade de vencer a edição de 2026.

Esse sonho cresceu depois de uma vitória por 2 a 1 sobre o pentacampeão mundial Brasil em um amistoso em Tânger no mês passado.

Ao longo da história, apenas seleções europeias e sul-americanas venceram a Copa do Mundo.

“Temos que definir nossas prioridades. Primeiro temos que vencer a Copa Africana de Nações. Sabemos muito bem que é uma competição difícil e complicada e depois teremos muito tempo para pensar na Copa do Mundo”, disse Boufal Qatari AlKass Sports através de um tradutor.

Marrocos qualificou-se como a primeira equipa para a próxima Taça das Nações Africanas, a ser disputada na Costa do Marfim no início do próximo ano, e procura apagar as más memórias do torneio que viu o seu único título conquistado em 1976.

“A Copa das Nações é diferente da Copa do Mundo e as circunstâncias não estiveram a nosso favor no passado, então temos que ter uma mentalidade mais forte”, acrescentou o jogador de 29 anos, que joga no Al-Rayyan, do Catar.

“Tudo está ótimo na Copa do Mundo em termos de treinos e estádios, mas na África é muito diferente. Temos que ser realistas e nos preparar bem para o torneio, vai ser tudo menos fácil.”

Boufal marcou na vitória contra o Brasil e disse que o time ainda está no auge de suas façanhas na Copa do Mundo.

“O segredo do nosso brilhantismo continuado é que continuamos com o que conquistamos na Copa do Mundo. Temos uma defesa forte, um ataque organizado, jogadores talentosos e sempre podemos fazer a diferença”, afirmou.

“O jogo contra o Brasil foi uma festa para nós, anfitriões da (então) FIFA Não regressar a Marrocos.” o título da Copa Africana de Nações.”

No último Ranking Mundial da FIFA, o Brasil caiu para o terceiro lugar, atrás da Argentina e da França, enquanto o Marrocos é o 11º.

Reportagem de Ahmed Mostafa, redação de Osama Khairy; Editado por Christian Radnedge

Nossos padrões: A Política de Confiança da Thomson Reuters.

By Patricia Joca

"Professional troublemaker. Friend to animals everywhere. Social media expert. Dedicated analyst. Amateur entrepreneur."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *