A pandemia global COVID-19 melhorou a realidade do ensino híbrido desenvolvido há alguns anos. O modelo em que os alunos aprendem presencial e remotamente com recursos digitais tem tido uma forte ascensão, principalmente devido ao entrave de vários meses de ensino presencial.

Um exemplo de plataforma que foi reinventada durante este tempo é a Rede Educacional Adventista na América do Sul. Os dados mostram que esta plataforma E-Class, consolidada em março de 2020, tinha pelo menos 777.000 usuários em novembro de 2021. Uma das usuárias foi a estudante Andressa Ellen Giolo, de 16 anos, que está no terceiro ano do ensino médio. Como aluna do Colégio Adventista de Maringá, no Paraná, gostou do dinamismo e da praticidade da plataforma.

Para Andressa, uma das oportunidades criadas no sistema de sala de aula online desenvolvido pela Adventist Education foi organizar melhor a entrega de materiais e atividades em sala de aula. “Também foi bom para os professores colocar os slides da aula em um só lugar.” No entanto, ela não nega que a confiança na tecnologia foi insegura no início, já que tudo dependia da plataforma.

Do ponto de vista do professor

A professora Joélia Cardoso Soares, professora do terceiro ano do Ensino Fundamental I do Colégio Adventista Asa Sul, em Brasília, confirma que tem boas experiências com a ferramenta educacional. Para ela, “os desafios eram grandes [during] naquela [start of the] Tempo de pandemia, mas por outro lado, o E-Class permitiu que pais, alunos e professores interagissem, ajudando no processo de ensino e aprendizagem. “

O educador lembra ainda que a plataforma auxiliou na vertente pedagógica de projetos, jogos, leituras e conteúdos relevantes. Tudo acabou minimizando os efeitos do distanciamento e até ampliando as possibilidades de investigação.

Números impressionantes

A plataforma E-Class foi desenvolvida pela Adventist Education alguns anos atrás, mas não apenas o Brasil se beneficiou de sua implementação rápida e emergencial; outros sete países aderiram ao modelo (usando o espanhol como idioma base), resultando em mais de 700.000 usuários ativos. Havia pelo menos 9,6 milhões de turmas registradas, 144,7 milhões de atividades de alunos e 1,7 bilhão de visualizações de página.

O líder da rede na América do Sul, pastor Antonio Marcos Alves, explica que o uso do E-Class ajudou a mudar um paradigma adotado. Segundo a educadora, durante a pandemia ficou mais claro que o processo de ensino e aprendizagem não se limita a uma construção física. “Os recursos disponíveis no ambiente digital foram tão importantes para o desenvolvimento da escola. Ao mesmo tempo, a plataforma ajudou a atualizar os professores e apontou um importante caminho a ser percorrido. Além disso, esse processo deu a professores, pais e alunos mais oportunidades de aproveitar o tempo fora do ambiente físico ”, enfatiza a dirigente.

O futuro

Alves destaca que ajudas tecnológicas como o E-Class devem ser mantidas e ampliadas no futuro, ainda que as atividades educacionais principalmente pessoais voltem a ocorrer. “Queremos que professores e alunos continuem atuando nesse ambiente de educação digital porque sabemos que é, antes de tudo, um recurso importante [useful for] Melhorar a eficácia do processo educacional ”, afirma.

Para o diretor da rede, muitas das tarefas e ações podem ser concluídas mais rapidamente em um espaço digital. Isso abre oportunidades para passar mais tempo treinando, melhorando e desenvolvendo novos projetos.

Esta postagem foi publicado originalmente no Site português de notícias da Divisão Sul-Americana.

Colchete de seta para a direitaContato

By Carlos Jorge

"Proud coffee expert. Webaholic. Zombie guru. Introvert. Avid beer aficionado. Analyst. Total TV practitioner. Award-winning foodie. Student."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *