Inundações no Congo deixam mais de 200 mortos e muitos mais desaparecidos

KALEHE, Congo – O número de mortos em enchentes e deslizamentos de terra no leste do Congo aumentou para mais de 200 e muitos mais ainda estão desaparecidos na província de Kivu do Sul, segundo autoridades locais.

Thomas Bakenge, gerente de Kalehe, a área mais atingida, disse a repórteres no sábado que 203 corpos foram recuperados até agora, mas os esforços para encontrar mais continuam.

No vilarejo de Nyamukubi, onde centenas de casas foram destruídas, equipes de resgate e sobreviventes escavaram as ruínas no sábado e vasculharam a lama em busca de mais corpos.

Os aldeões choraram enquanto se reuniam em torno de alguns dos corpos recuperados até agora, que jaziam na grama cobertos por panos enlameados perto de um posto de resgate.

A sobrevivente de luto Anuarite Zikujuwa disse que perdeu toda a sua família, incluindo seus sogros, assim como muitos de seus vizinhos. “Toda a aldeia foi transformada em um terreno baldio. Restam apenas pedras e não podemos nem dizer onde nosso país já esteve”, disse ela.

Michake Ntamana, um socorrista que está ajudando a procurar e enterrar os mortos, disse que os moradores estão tentando identificar e recolher os corpos de seus entes queridos que foram encontrados até agora. Ele disse que alguns corpos trazidos de aldeias mais altas nas colinas foram enterrados apenas envoltos em folhas das árvores. “É muito triste porque não temos mais nada aqui”, disse ele.

Os rios transbordaram em aldeias na área de Kalehe, perto da margem do lago Kivu, na quinta-feira. As autoridades relataram numerosos feridos. Um sobrevivente disse à AP que as inundações repentinas vieram tão rapidamente que pegaram todos de surpresa.

O governador do Kivu do Sul, Théo Ngwabidje, visitou a área para ver pessoalmente a destruição. Ele postou em sua conta no Twitter que o governo provincial forneceu remédios, abrigo e comida.

Várias estradas principais para a área afetada ficaram intransitáveis ​​pelas chuvas, dificultando os esforços de socorro.

O presidente Felix Tshisekedi declarou na segunda-feira um dia nacional de luto para homenagear as vítimas, e o governo central está enviando uma equipe de gerenciamento de crise para Kivu do Sul para apoiar o governo provincial.

As fortes chuvas nos últimos dias deixaram milhares na África Oriental miseráveis, com fortes chuvas também atingindo partes de Uganda e Quênia.

Inundações e deslizamentos de terra em Ruanda, que faz fronteira com o Congo, mataram 129 pessoas no início desta semana.

O funcionário do governo local, Bakenge, disse à AP: “Esta é a quarta vez que tais danos foram causados ​​pelos mesmos rios. Passam-se menos de 10 anos sem que causem danos enormes.”

By Carlos Eduardo

"Fã de música. Geek de cerveja. Amante da web. Cai muito. Nerd de café. Viciado em viagens."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *