A Google gasta fortunas para manter seu mecanismo de busca padrão em outras empresas, e não é de se surpreender já que é dali que a empresa tira sua principal renda, e que também se torna uma opção fácil para todos os usuários.

E para as empresas rivais isso também é uma grande fonte de renda, até mesmo a Apple ganha com isso, já que para manter o sistema padrão do Safari, a Google somente neste ano teria pago à Apple US$ 3 bilhões. Mas quanto ficaria essa soma se considerarmos os demais navegadores que também mantém este mecanismo de pesquisa como principal?

Segundo dados revelados pelo Bloomberg, o Google gastou US$ 7,2 bilhões (equivalente a cerca de R$ 22,8 bilhões) só em 2016 para se manter como padrão nas principais plataformas. Curiosamente, a empresa também paga para se manter à frente no próprio Android. Afinal, fabricantes como Samsung, LG, Lenovo e outras poderiam muito bem mudar as regras em suas ROMs customizadas, mas nesses casos também são inclusos outros aplicativos, como YouTube e o Chrome.

Os detalhes desses acordos financeiros são secretos, mas os analistas acreditam que o maior culpado no recente aumento de custos é o já mencionado acordo com a Apple. Sendo assim há uma preocupação por parte dos investidores da Alphabet (uma espécie de dona do Google), eles temem que esse número continue subindo e se aproxime cada vez mais das margens de lucro do Google – o que ameaçaria o retorno para estes investidores.