EUA anunciam transferência de US$ 500 milhões ao Fundo Amazônia em cinco anos

São Paulo, Brasil – O presidente dos EUA, Joe Biden, anunciou US$ 500 milhões em apoio ao Fundo Amazônia, uma iniciativa de assistência financeira multinacional para combater o desmatamento na floresta amazônica. Os repasses de R$ 2,5 bilhões serão feitos nos próximos cinco anos.

“Tenho o prazer de anunciar que pedirei que contribuamos com US$ 500 milhões para o Fundo Amazônia e atividades relacionadas nos próximos cinco anos para ajudar o Brasil a eliminar o desmatamento até 2030.” disse Biden em 20.04.

A proposta ainda não foi aprovada pelo Congresso americano, mas seu valor já é dez vezes maior do que o originalmente proposto (US$ 50 milhões) em fevereiro, quando o secretário do Clima, John Kerry, visitou o Brasil e confirmou a intenção dos Estados Unidos de aderir ao fundo Amazônia em .

Continue lendo: John Kerry afirma compromisso dos EUA com a proteção ambiental no Brasil

Desmatamento da floresta amazônica
A floresta amazônica brasileira fornece cerca de 20 por cento do oxigênio do mundo. Imagem cortesia de Deposit Photos.

Se o financiamento for aprovado, os Estados Unidos se tornarão o segundo maior doador do Fundo Amazônia, depois da Noruega.

Ministra do Meio Ambiente Marina Silva chamado que a contribuição americana poderia ser ainda maior. Ela disse que conversou com John Kerry, que manifestou o interesse do governo Biden em investir até US$ 2 bilhões em projetos de sustentabilidade no Brasil e no combate às mudanças climáticas.

“A conversa que tive com o secretário John Kerry foi só o começo dos esforços para que, segundo ele, possamos mobilizar algo em torno de US$ 2 bilhões para implementar ações em todas as frentes, não apenas no Fundo Amazônia”, disse Silva.

Segundo o ministro, os repasses serão inicialmente utilizados no combate ao desmatamento, queimadas e ordenamento territorial. O objetivo é que o Fundo Amazônia refinancie pesquisas, tecnologias, projetos de desenvolvimento sustentável, bioeconomia e agricultura de baixo carbono “rumo a um novo modelo de desenvolvimento”.

A ministra Marina Silva com o secretário do Clima, John Kerry, durante visita do americano ao Brasil em fevereiro. Imagem cortesia de Fábio Pozzobom/Agência Brasil

Mais sobre o Fundo Amazônia

O Fundo Amazônia foi criado em 2008 e recebe doações de instituições internacionais e governos para financiar medidas de prevenção e combate ao desmatamento na Amazônia. Em 2019, os dois principais doadores, Alemanha e Noruega, suspenderam as remessas devido à falta de políticas ambientais do governo do ex-presidente Jair Bolsonaro.

Continue lendo: Alemanha retoma pagamentos ao Fundo Amazônia do Brasil para proteger o meio ambiente e os povos indígenas

O Fundo Amazônia foi reativado este ano após a posse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em janeiro. A Suprema Corte também ordenou a retomada do fundo. Depois disso, Noruega e Alemanha já liquidaram todos os pagamentos pendentes e o fundo tem atualmente cerca de R$ 5,4 bilhões (US$ 1 bilhão) no total.

Desse montante, R$ 1,8 bilhão (US$ 360 milhões) já foi destinado pelo governo e parte está sendo usado para ajudar os índios Yanomami. Eles estão passando por uma grave crise de saúde em curso, com muitos casos de desnutrição e doenças entre crianças e idosos.

By Carlos Jorge

"Proud coffee expert. Webaholic. Zombie guru. Introvert. Avid beer aficionado. Analyst. Total TV practitioner. Award-winning foodie. Student."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *