Espetacular nova chuva de meteoros Tau Herculids pode iluminar os céus da América do Norte
Cometa Quebrado 73P/Schwassmann-Wachmann 3

Esta imagem infravermelha do Telescópio Espacial Spitzer da NASA mostra o estilhaçado Cometa 73P/Schwassman-Wachmann 3 deslizando ao longo de uma trilha de detritos deixados em suas múltiplas viagens ao redor do Sol. Os objetos semelhantes a chamas são os fragmentos do cometa e suas caudas, enquanto a cauda do cometa empoeirado é a linha que liga os fragmentos. Crédito da foto: NASA

Os astrônomos estão animados com a possibilidade de uma nova chuva de meteoros nos dias 30 e 31 de maio, a chuva Tau Hercúlide, que deve atingir o pico durante a noite de 30 de maio e no início da manhã de 31 de maio.

Já em 1930, os observadores alemães Arnold Schwassmann e Arno Arthur Wachmann descobriram um cometa chamado 73P/Schwassmann-Wachmann ou “SW3” orbitando o Sol a cada 5,4 anos. Como o SW3 era tão fraco, não foi visto novamente até o final da década de 1970, e parecia bastante normal até 1995, quando os astrônomos notaram que o cometa brilhou cerca de 600 vezes durante sua transição de um ponto fraco para um com manchas visíveis. passou a ser. Após uma investigação mais aprofundada, os astrônomos descobriram que SW3 havia se fragmentado em vários pedaços e sua própria órbita estava repleta de detritos. Quando passou por nós novamente em 2006, consistia em quase 70 peças e foi fragmentado desde então.

Se eles chegarem até nós este ano, os detritos do SW3 atingirão a atmosfera da Terra muito lentamente, viajando a apenas 16 quilômetros por segundo – o que significa meteoros muito mais fracos do que os pertencentes aos Eta Aquariids. Mas os observadores de estrelas norte-americanos estão prestando atenção especial este ano porque o emissor Tau Herculid estará alto no céu noturno em seu horário de pico previsto. Melhor ainda, a lua é nova, então não haverá luar para apagar os meteoros fracos.

“Vai ser um evento de tudo ou nada. Se os destroços do SW3 estivessem se movendo a mais de 220 mph enquanto se separavam do cometa, poderíamos ver uma bela chuva de meteoros. Se os detritos tivessem velocidades de ejeção mais lentas, nada chegaria à Terra e não haveria meteoros deste cometa”, disse Bill Cooke, diretor[{” attribute=””>NASA’s Meteoroid Environment Office at NASA’s Marshall Space Flight Center in Huntsville, Alabama.

All the excitement from astronomers and the public has sparked a lot of information about the tau Herculids. Some has been accurate, and some has not.

We get excited about meteor showers, too! But sometimes events like this don’t live up to expectations – it happened with the 2019 Alpha Monocerotid shower, for example. And some astronomers predict a dazzling display of tau Herculids could be “hit or miss.”

So, we’re encouraging eager skywatchers to channel their inner scientists, and look beyond the headlines. Here are the facts:

  • On the night of May 30 into the early morning of May 31, Earth will pass through the debris trails of a broken comet called 73P/Schwassmann-Wachmann, or SW3.
  • The comet, which broke into large fragments back in 1995, won’t reach this point in its orbit until August.
  • If the fragments from were ejected with speeds greater than twice the normal speeds—fast enough to reach Earth—we might get a meteor shower.
  • Spitzer observations published in 2009 indicate that at least some fragments are moving fast enough. This is one reason why astronomers are excited.
  • If a meteor shower does occur, the tau Herculids move slowly by meteor standards – they will be faint.

Observers in North America under clear, dark skies have the best chance of seeing a tau Herculid shower. The peak time to watch is around 1 a.m. on the East Coast or 10 p.m. on the West Coast.

We can’t be certain what we’ll see. We can only hope it’s spectacular.

By Gabriel Ana

"Passionate student. Twitter nerd. Avid bacon addict. Typical troublemaker. Thinker. Webaholic. Entrepreneur."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *