Com cinco dias para o fim, a disputa pela Casa Branca está acontecendo entre Donald Trump e Joe Biden. A batalha política pela conquista dos “estados indecisos” pode ser decisiva para desequilibrar as eleições presidenciais norte-americanas. Todo mundo sabe disso, especialmente os dois oponentes. É nesses estados mais voláteis nas intenções de voto que tudo pode mudar.

Um desses casos é a Flórida, onde os dois candidatos realizaram comícios nesta quinta-feira. Amanhã, a turnê pelos Estados indecisos continua: Trump continua em busca de votos na Geórgia e na Pensilvânia, cruzando novamente com Biden em Michigan, que também viaja para Iowa e Wisconsin. Quem está mais em estados indecisos?

Em nível nacional, de acordo com uma pesquisa da CNN, o democrata continua liderando com 54% das intenções de voto, enquanto o rival republicano pela reeleição permanece com 42%. No entanto, isso não deve tranquilizar Joe Biden, pois basta lembrar o que aconteceu em 2016, quando Hillary Clinton prevaleceu nas urnas, chegou a somar 337.636 mil votos populares, mas mesmo assim foi derrotada.

Nos EUA, o sistema eleitoral é diferente. Não basta vencer nas urnas; é preciso vencer no Colégio Eleitoral, obtendo a maioria dos 538 votos dos delegados. E é aqui que entram os estados de oscilação, que podem causar uma ‘torção’.

O candidato vencedor deve obter 270 votos dos delegados para se tornar presidente e, no total, esses estados elegem 125 representantes: Flórida (29), Pensilvânia (20), Ohio (18), Michigan (16), Carolina do Norte (15), Arizona (11), Wisconsin (10) e Iowa (6).

E como anda a dança das pesquisas por esses lugares? Na Flórida, o estado mais indefinido, Biden coleta 51% das intenções de voto, contra 43,6% de Trump. Resultado semelhante pode ser visto na Pensilvânia, onde o democrata fica com 50,5% e o republicano com 45,2%. Uma tendência semelhante, com um equilíbrio igual de forças, também é vista no Arizona e Wisconsin.

A tendência continua em Michigan, onde Joe Biden lidera com 50,5%, à frente dos 43% de Donald Trump. Mais difícil é o cenário da Carolina do Norte, onde Biden tem dois pontos percentuais a mais que o atual presidente dos Estados Unidos. O equilíbrio é ainda mais equilibrado mesmo em Iowa, onde o democrata parece convencer 47,3% do eleitorado, com apenas três décimos de vantagem.

Entre os estados indecisos, apenas Ohio parece ser um território mais favorável para os republicanos, onde Trump assume a liderança com 48,5% das intenções de voto, seguido de perto por Biden, com 46,6% das preferências.

By Carlos Eduardo

"Fã de música. Geek de cerveja. Amante da web. Cai muito. Nerd de café. Viciado em viagens."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *