De quantos pontos seu time precisa para ganhar o campeão?  E não cair?

Defesa ou ataque: qual é a melhor abordagem para marcar? A resposta depende de muitos fatores, mas a tendência estatística mostra que, nesses dez anos, o alcance de menos gols aproximou essas equipes da vitória.

Nas sete edições dos últimos 10 brasileiros, o campeão teve apenas a defesa menos falhada. Fluminense 2010 (36 gols sofridos), Corinthians 2011 (36 gols sofridos), Fluminense 2012 (33 gols sofridos) e Corinthians 2017 (30 gols sofridos). Também se somam a esta lista o Corinthians 2015 e o Palmeiras 2016 e 2018. Acontece que os rivais paulistas terminaram suas grandes campanhas com o sistema ofensivo mais produtivo.

No final: somar esses títulos ao Cruzeiro em 2013 e 2014 e Flamengo em 2019, e o melhor ataque acabou com a conquista de seis troféus. Ou seja: a diferença não foi tão grande em termos de número de taças em relação ao ataque e à defesa.

No entanto, receber menos gols foi acompanhado de marcar menos pontos. Quatro campeões cujo auge foi a solidez nas costas, sempre somaram menos de 80. Duas das três equipes que levaram o troféu com base na artilharia ultrapassaram essa marca.

A média da melhor defesa brasileira foi de 31,1 gols sofridos. O melhor de tudo foi o do Corinthians em 2013, com 22 gols marcados, mas nesta temporada o time terminou a competição na décima colocação, com um ataque ruim. A segunda melhor marca é do Grêmio 2014, com apenas 24 gols marcados. O time gaúcho teve que se contentar com a sétima colocação.

A média do melhor ataque foi de 68 gols. E aqui vale destacar: a equipe que mais gols marcou sempre esteve entre as quatro primeiras colocadas no final do campeonato.

By Daiana Juli

"Typical internet junkie. Entrepreneur. Reader. Web lover. Thinker. Future teen idol. Bacon scholar. Music aficionado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *