Criciúma tem um caso ativo de dengue, importado de outro município, e 42 focos do mosquito Aedes Aegypti, um aumento de mais de 120% em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados acendem o risco da doença na cidade. Preocupado com a situação, o Centro de Controle de Zoonoses, órgão vinculado à Prefeitura Municipal, promove neste sábado, dia 21, um dia ‘D’ de conscientização sobre o assunto. O evento acontece das 8h às 12h, na Praça Nereu Ramos.

Profissionais e agentes de combate às endemias ficarão em uma barraca, instalada no local, prestando orientações e esclarecendo as dúvidas da população. “Vamos demonstrar como evitar que o mosquito se prolifere com objetos e larvas. A ideia é lidar com essa questão de uma forma bem simples ”, explicou a supervisora ​​do Programa de Combate à Dengue, Simone Cristina da Cruz.

O dia ‘D’ é tradicionalmente realizado no penúltimo sábado de novembro. Neste ano, devido ao crescimento do mosquito transmissor da dengue, zika vírus, chikungunya e febre amarela, principalmente em municípios vizinhos, as ações de controle são intensificadas, como a instalação de 566 armadilhas espalhadas por 157 pontos estratégicos.

“Hoje temos 42 focos. No ano passado, na mesma época, eram apenas 19. Nós também temos um caso ativo, mas o paciente não contraiu aqui. Ele foi contaminado em outro lugar. Por isso, estamos trabalhando em diferentes frentes para evitar a proliferação do mosquito ”, disse Simone.

A maior parte dos surtos concentra-se em dois bairros de Criciúma. “Temos 16 focos em Nossa Senhora da Salete e 13 na Prosperia. Os demais casos estão em outros locais ”, revelou.

Colaboração: Richard Vieira / Decom

By Gabriel Ana

"Passionate student. Twitter nerd. Avid bacon addict. Typical troublemaker. Thinker. Webaholic. Entrepreneur."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *