O Primeiro-Ministro, António Costa, apelou esta sexta-feira a todos os portugueses para apoiarem os profissionais de saúde no cumprimento das regras necessárias à prevenção da propagação do vírus Covid-19.

“A melhor ajuda que podemos dar a cada um desses profissionais é fazemos tudo para cumprir as regras necessárias para evitar que cada um de nós adoeça ou que, sem consciência, estejamos a fazer outros doentes ”, disse o chefe do Governo, em Santiago do Cacém (Setúbal), durante a inauguração do Serviço de Urgências Médico-Cirúrgicas do Hospital do Litoral Alentejo (HLA).

António Costa sublinhou que “quanto menos doentes tiverem que tratar estas senhoras e senhores, melhores condições para trabalhar e poder dedicar quem está realmente doente e precisa de cuidados ”.

Na cerimónia, que contou com a presença da Ministra da Saúde, Marta Temido, o Primeiro-Ministro aproveitou para sublinhar que “a resposta do Serviço Nacional de Saúde (SNS) não se esgota face ao Covid-19”.

“Devemos continuar a fazer os investimentos que são essenciais para continuar a melhorar o NHS além desta pandemia. O esforço de investimento no SNS foi iniciado após a crise anterior e deve continuar, apesar desta crise ”.

Segundo António Costa, demorou quatro anos a “recuperar a capacidade de investimento do Serviço Nacional de Saúde. Começámos o ano com a maior dotação de sempre do SNS, a Covid-19 exigia muito mais de nós e é por isso que o Orçamento Suplementar nos obrigou, que só este ano, tínhamos um reforço de fundos no SNS, idêntico ao reforço dos quatro anos anteriores ”.

“O orçamento [de Estado] para 2021, agora em debate na Assembleia da República, prevê um reforço de mais 1.200 milhões de euros de investimento no SNS, entre novos hospitais, melhorias em hospitais existentes, equipamentos, em particular, nos cuidados de saúde primários, para desenvolver a rede de atenção integrada e fortalecer os recursos humanos ”, frisou.

Para António Costa, “se existe uma condição fundamental para o desenvolvimento é ter um SNS robusto que permita a todos estarem garantidas condições de atractividade, fixação e qualidade de vida.

As novas instalações do Serviço de Urgências Médico-Cirúrgicas da Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano (ULSLA), representam um investimento total de 2,4 milhões de euros, e vão servir uma população de cerca de 100 mil habitantes nos concelhos de Alcácer do Sal, Grândola, Santiago do Cacém e Sines, no distrito de Setúbal, e Odemira (Beja).

By Carlos Henrique

"Introvertido amigável. Estudante. Guru amador de mídia social. Especialista em Internet. Ávido encrenqueiro."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *