Coprodução portuguesa Espíritos e rochas: um mito açoriano, do diretor suíço-turco Aylin Gökmen, fará parte da seção de curtas-metragens do Festival de Cinema de Sundance, nos Estados Unidos, anunciou a organização nesta quarta-feira.

Descrita como “a adaptação documental de um mito”, Espíritos e rochas: um mito açoriano tem uma co-produção Suíça e Portugal e já tinha participado no concurso de curtas-metragens do festival de Locarno, que decorreu em agosto.

“Em uma ilha vulcânica, os habitantes estão presos em um ciclo sem fim: a ameaça de erupções iminentes e o peso do trauma do passado que os obscurece. Alguns recorrem a mitos e crenças religiosas para interpretar a sua situação precária, enquanto outros demonstram resiliência reconstruindo as suas aldeias a partir de rochas vulcânicas ”, pode ser lido na sinopse do documentário de 14 minutos integrado no Festival de Sundance.

Como reflexo da “atmosfera etérea das paisagens da ilha, o filme vai aos poucos assumindo o aspecto das histórias que conta”.

Aylin Gökmen é licenciada em Artes pela Universidade de Lausanne e tem um mestrado em cinema documentário pelo programa DocNomads Erasmus Mundus. Este ano, ele co-fundou a produtora A Vol d’Oiseau.

Também na competição de curtas está o Brasileiro Inabitável, de Matheus Farias, sobre um Brasil “onde uma pessoa trans é assassinada a cada três dias”, em que “Marilene procura sua filha, Roberta, uma mulher trans desaparecida”.

Na competição internacional de longas-metragens de ficção, está também a brasileira A nuvem rosa, por Iuli Gerbase, em “uma nuvem rosa tóxica [que] aparece em vários países, obrigando todos a serem confinados ”.

O Festival de Sundance de 2021 será “um pouco diferente”, nas palavras da diretora Tabitha Jackson, com grande parte da programação a ser exibida conectados por meio da plataforma do evento, enquanto outros momentos acontecerão fisicamente por meio de “telas de satélite” espalhadas pelos Estados Unidos.

“Um novo capítulo, cheio de possibilidades. Apesar dos desafios que este ano nos trouxe, nada nos impediu de festejar o cinema independente, os artistas visionários, as perspectivas únicas e vocês, o nosso público aventureiro ”, lê-se na mensagem do realizador do evento, antes de acrescentar:“ Pela primeira vez , levaremos o festival até você – “online” e no mundo real, nos Estados Unidos e além ”.

A programação do festival inclui estreias mundiais de novos filmes dos diretores britânicos Ben Wheatley e Edgar Wright, bem como estréias nos bastidores de Rebecca Hall e Robin Wright.

By Gabriel Ana

"Passionate student. Twitter nerd. Avid bacon addict. Typical troublemaker. Thinker. Webaholic. Entrepreneur."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *