O corpo da lenda do futebol Diego Maradona chegou ao palácio presidencial argentino em Buenos Aires na manhã desta quarta-feira, onde será realizado o funeral. No entanto, confrontos violentos começaram a eclodir nas proximidades do local.

Centenas de pessoas esperaram na fila do lado de fora do palácio presidencial para se despedir do campeão mundial de 1986, no velório que acontecerá nesta quinta-feira, das 6h às 16h (entre 9h e 7h pm em Lisboa), indicou a presidência argentina, mas isso será adiado por mais três horas, até às 19h (22h em Lisboa).

Na tarde desta quarta-feira, vários torcedores do craque argentino ficaram sem poder vê-lo pela última vez e se envolveram em conflitos com a polícia, tendo até jogado garrafas, segundo a imprensa argentina. As forças de segurança reagiram e endureceram o cerco ao local onde está a decorrer o funeral.

Porém, segundo a imprensa argentina, muita gente não respeitou a fila de entrada do Palácio Presidencial, onde está o corpo do ex-jogador de futebol, e a polícia entrou em choque com as pessoas.

A ex-esposa do ídolo Claudia Villafañe e suas duas filhas, Dalma e Gianinna, já viajaram para a Casa Rosada, sede da presidência da República Argentina.

Eles foram seguidos pelo presidente da Associação Argentina de Futebol (AFA), Claudio Tapia, e vários jogadores e ex-jogadores de futebol, incluindo companheiros de equipe de Maradona no Campeonato Mundial de 1986, vencido pela Albiceleste no México.

Maradona, considerado um dos melhores jogadores de futebol da história, morreu em sua casa na Argentina aos 60 anos, anunciou o empresário e amigo Matías Morla.

Segundo a imprensa argentina, Maradona, que treinou os argentinos de Gimnasia y Esgrima, teve uma parada cardíaca em sua casa, na província de Buenos Aires.

Sua carreira no futebol, de 1976 a 2001, foi marcada pela vitória da Argentina na Copa do Mundo da FIFA de 1986, no México, e pelos dois títulos italianos e pela Copa da UEFA a serviço dos italianos de Nápoles.

O presidente argentino Alberto Fernández decretou três dias de luto nacional pela morte de Maradona.

A autópsia do corpo de Diego Armando Maradona foi realizada esta manhã, às 21h, no necrotério de San Fernando, na Argentina.

Segundo a reportagem, publicada pelo diário argentino Olé, o ex-napolitano morreu devido a “insuficiência cardíaca aguda, em paciente com cardiomiopatia dilatada, insuficiência cardíaca congestiva e que, por sua vez, gerou edema agudo do pulmão”.

A família ‘El Pibe’ disse à imprensa argentina que o ex-jogador estava “muito ansioso e nervoso”.

Em novembro, Maradona já havia sido internado em uma clínica em La Plata e depois em Buenos Aires, para remover um coágulo que se formou no cérebro do argentino.

By Carlos Henrique

"Introvertido amigável. Estudante. Guru amador de mídia social. Especialista em Internet. Ávido encrenqueiro."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *