O presidente da Federação Brasileira de Futebol (CBF) foi afastado do cargo pelo comitê de ética da entidade por 30 dias, apenas uma semana antes de o Brasil sediar a Copa América.

Segundo a imprensa brasileira, Rogério Caboclo foi acusado de molestar sexualmente uma funcionária.

Caboclo nega qualquer irregularidade.

“A decisão é secreta e o processo terá prosseguimento perante a referida comissão com o objetivo de apurar a denúncia apresentada”, afirmou a CBF em breve comunicado.

Antonio Carlos Nunes de Lima, 82 anos, assumirá inicialmente o cargo de presidente interino.

A decisão de retirar o Caboclo é tomada apenas sete dias antes do início da Copa América no Brasil, em meio a turbulências dentro e fora do campo, antes do torneio acontecer de 13 de junho a 10 de julho.

O Brasil foi inesperadamente escolhido para sediar o torneio de 10 seleções sul-americanas na semana passada, depois que a Colômbia foi removida devido a distúrbios e a co-anfitriã Argentina se retirou após um aumento nos casos de COVID-19.

Mas a decisão pareceu incomodar os jogadores e treinadores brasileiros, que prometeram fazer uma declaração pública na terça-feira, após a partida pelas eliminatórias para a Copa do Mundo contra o Paraguai, sobre se vão ou não participar do torneio continental.

O alvoroço abalou a nação louca por futebol e surgiu em meio a relatos de que Caboclo estava sendo investigado depois de ser acusado de assédio sexual por um membro da equipe.

O Globoesporte, site de esportes que divulgou a notícia, disse que o jovem de 48 anos fez comentários sexuais e insultou um funcionário não identificado.

A polêmica é a mais recente de uma longa série de escândalos que atingiram a poderosa organização que dirige o futebol no único país a ter vencido a Copa do Mundo cinco vezes.

Os três antecessores de Caboclo foram considerados culpados de suborno pelo Comitê de Ética da FIFA e foram proibidos de todas as atividades relacionadas ao futebol para sempre.

Caboclo enfrentou seu período mais difícil desde que assumiu o cargo em 2019 na semana passada, depois que o técnico Tite e seus jogadores o confrontaram sobre sua decisão de sediar a Copa, que foi realizada em colaboração com o presidente de extrema direita do Brasil, Jair Bolsonaro.

Os atuais campeões da Copa América abrirão o torneio 2021 contra a Venezuela, em Brasília, no dia 13 de junho.

By Patricia Joca

"Professional troublemaker. Friend to animals everywhere. Social media expert. Dedicated analyst. Amateur entrepreneur."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *