Brasil suspende desinvestimentos da Petrobras – BNamericas
Brasil suspende desinvestimentos da Petrobras

De acordo com um comunicado de imprensa do Ministério de Minas e Energia (MME) do Brasil, a estatal de petróleo Petrobras pediu a suspensão das vendas de ativos por 90 dias a partir de 1º de março.

O pedido ocorreu em função da reavaliação da política energética nacional e do estabelecimento de uma nova composição do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), que faz parte do ministério.

Na semana passada, um decreto assinado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pelo ministro da Energia, Alexandre Silveira, determinou a representação de seis novos ministérios na diretoria do CNPE: fazenda; Transporte; agricultura e pecuária; ciência, tecnologia e inovação; ambiente e alterações climáticas; e integração e desenvolvimento regional.

A suspensão de alguns desinvestimentos da Petrobras era esperada, pois Lula acredita que é estrategicamente importante para a empresa permanecer um grupo integrado de upstream e downstream.

Desde a eleição de Lula, em outubro, a empresa suspendeu as vendas da fábrica de fertilizantes Araucária Nitrogenados (Ansa), no Paraná, da refinaria Gabriel Passos (Regap), em Minas Gerais, e da termelétrica a gás e diesel de Canoas, no Rio Grande do Sul.

Outros ativos de middle e downstream incluídos no programa de desinvestimentos da Petrobras incluem as refinarias Abreu e Lima (Rnest), Presidente Getúlio Vargas (Repar) e Alberto Pasqualini (Refap), ao lado da petroquímica Braskem, da Transportadora Bolívia Brasil de Gás (TBG) e da Usina Nitrogenada de Três Lagoas (UFN-III).

Já no segmento upstream, a Petrobras comercializa diversos principalmente águas rasas e onshore Blocos e campos de exploração, uma vez que prioriza ativos de águas profundas e ultraprofundas.

Em biocombustíveis, a Petrobras iniciou em 2020 o processo de venda de sua subsidiária Petrobras Biocombustível (PBio).

Ativos estrangeiros como o bloco Tayrona na Colômbia e a Petrobras Operaciones (Posa) na Argentina também estão à venda.

Todos esses processos provavelmente serão revisados ​​pelo conselho de administração da Petroras, que é controlado por uma agência federal que deve mudar seu atual plano de negócios.

O CEO Jean Paul Prates, que está no comando da Petrobras desde fevereiro, pretende alinhar melhor a Petrobras com a transição energética e potencialmente aumentar os investimentos em energia renovável e biocombustíveis.

Em comunicado, a Petrobras disse que seu conselho analisará os desinvestimentos em andamento “do ponto de vista civil e no âmbito das regras de governança, bem como quaisquer compromissos já assumidos, suas penalidades e consequências”.

Dessa forma, a empresa deseja que seus órgãos de controle avaliem potenciais riscos jurídicos e econômicos, respeitando as regras de confidencialidade e demais regulamentações.

By Carlos Jorge

"Proud coffee expert. Webaholic. Zombie guru. Introvert. Avid beer aficionado. Analyst. Total TV practitioner. Award-winning foodie. Student."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *