Brasil quer que Nelson Piquet seja multado em milhões por fazer comentários racistas sobre Lewis Hamilton

No início do ano passado, um vídeo ressurgido de Nelson Piquet abalou a comunidade da F1. Marcado por seus comentários perturbadores contra Lewis Hamilton, a situação piorou quando o homem foi levado à justiça.

Depois de uma longa luta para encontrar o caminho certo, os campeões brasileiros finalmente enfrentam o julgamento. Assim como Hamilton tinha feito chamado Antes, “É mais do que apenas idioma… Foi muito tempo para estudar. Chegou a hora de agir.”

Nelson Piquet enfrenta multa pesada

De acordo Jornalista brasileiro Anselmo Gois, Piquet enfrenta uma ação civil pública movida por diversos órgãos e organizações sociais, como Educafro e Aliança Nacional LGBTI+. Esses grupos pedem R$ 10 milhões de indenização [$1,950,00]o que, a seu ver, constituiria uma reparação adequada dos danos coletivos causados.

A entrevista, que foi acusada de racismo e homofobia, gerou indignação global. O Ministério do Estado brasileiro, que agora é alvo de uma ação civil pública, declarou, portanto, esta “No caso em discussão, as violações dos direitos da vítima e da população negra e LGBTQIA+ foram configuradas levando em consideração o nível de regulamentação internacional e nacional.”

Leia também: “Toto Wolff não ficaria impressionado”: Lewis Hamilton revela se fez xixi em carro da Mercedes

O procurador destaca ainda que a atitude e os preconceitos de Piquet são um claro reflexo de sua percepção sobre os profissionais negros, “ser malsucedido por sua competência, necessitando o uso de outros meios como submissão, humilhação e inferioridade aos brancos que seguem padrões heteronormativos.”

Assim, o caso contra Piquet continua enquanto o Brasil luta por justiça em nome de seu herói, Lewis Hamilton.

O pedido de desculpas de Piquet a Lewis Hamilton

Piquet foi pego em flagrante depois de usar insultos de corrida contra Hamilton enquanto criticava seus duelos de 2021 com Max Verstappen. Quando as coisas azedaram, Piquet rapidamente jogou uma chave inglesa nos trabalhos pedido público de desculpas para Hamilton.

“O que eu disse foi mal pensado, e não estou me defendendo disso, mas vou esclarecer que o termo usado foi muito usado no português brasileiro e historicamente coloquial como sinônimo de ‘tipo’ ou ‘pessoa’ nunca foi intencional para “insultar.”

Piquet afirmou que o significado foi perdido na tradução e perguntou: “Eu condeno veementemente qualquer sugestão de que a palavra tenha sido usada por mim para menosprezar um motorista por causa da cor de sua pele.”

No entanto, com seu próprio distrito, que compartilha sua língua, oposto a ele, seu pedido de desculpas é questionável. Como disse Hamilton, chegou a hora de agir.

By Patricia Joca

"Professional troublemaker. Friend to animals everywhere. Social media expert. Dedicated analyst. Amateur entrepreneur."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *