A velocidade do 5g pode ser reduzida pela metade se menos espectro for alocado na banda de 6 GHz, diz Coai

A densidade populacional significativamente maior da Índia (464 pessoas/km²) em comparação com 36 nos EUA e 25 no Brasil requer uma frequência de exposição de 96 por cento (em comparação com 40-50 por cento nos EUA ou no Brasil).

A Índia precisa alocar mais espectro de banda média como 6 GHz para serviço celular 5G contínuo no país, caso contrário, a velocidade de download de 5G seria reduzida para 50% quando totalmente implantado se menos espectro na banda de 6 GHz, o celular, for atribuído. a Associação de Operadores da Índia (COAI) na segunda-feira.

Em uma carta ao Departamento de Telecomunicações (DoT), o Apex Operators Panel disse que o espectro de banda média, como 6 GHz, oferece um equilíbrio entre ampla cobertura e capacidade, possibilitando a implantação rápida e econômica de redes celulares 5G na Índia é crucial e também atende aos requisitos de dados crescentes exponencialmente e em termos acessíveis.

“A escassez do espectro de 6 GHz forçaria os provedores de serviços de telecomunicações (TSP) a densificar as redes para atender aos requisitos de desempenho 5G IMT-2020, resultando em custos anuais 60% mais altos. Sem a densificação, as velocidades de download 5G seriam reduzidas para 50% quando menos espectro for alocado na banda de 6 GHz”, disse o tenente-general SP Kochhar, diretor-geral do COAI.

Atualmente, apenas 720MHz está disponível na banda média na Índia.

Além disso, o governo está considerando liberar o espectro de transmissores de banda C (3670-4000 MHz) ou usuários de satélite para uso 5G/6G.

Mas mesmo esse espectro da banda C não será suficiente para atingir o espectro de 2 GHz necessário para comunicações móveis internacionais (IMT) na banda intermediária.

“É importante que 1200 MHz disponíveis em 6 GHz sejam alocados para comunicações móveis na Índia para conservar esse espectro crítico de banda média de 2 GHz”, disse o COAI.

A densidade populacional significativamente maior da Índia (464 pessoas/km²) em comparação com 36 nos EUA e 25 no Brasil requer uma frequência de exposição de 96 por cento (em comparação com 40-50 por cento nos EUA ou no Brasil).

A população média servida por cada antena na Índia é aproximadamente oito vezes maior que a desses países, exigindo cerca de 4-5MHz de espectro/pessoa.

“Os serviços Wi-Fi na Índia já têm espectro suficiente nas bandas de 2,4 GHz e 5 GHz (total de 688 MHz) para atender à demanda por acesso Wi-Fi em 2025-2030. Os serviços Wi-Fi têm transferência de dados insignificante do celular IMT para o Wi-Fi porque a Índia é uma nação móvel com mais de 95% dos usuários da Internet acessando dados de banda larga móvel”, disse a carta da COAI.

Foi recomendado que a alocação ideal para o país na banda de 6 GHz é identificar todo o espectro de 5925-7125 MHz (espectro de 1200 MHz para aplicações IMT) por causa dos benefícios econômicos e sociais para atingir a meta nacional de US$ 1 trilhão para o espectro digital maximizaria a economia.

By Carlos Jorge

"Proud coffee expert. Webaholic. Zombie guru. Introvert. Avid beer aficionado. Analyst. Total TV practitioner. Award-winning foodie. Student."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *