O promotor público alemão anunciou na segunda-feira que havia explodido uma das maiores plataformas internacionais de darknet do mundo para pornografia infantil, que é usada por mais de 400.000 membros registrados.

O promotor público de Frankfurt anunciou em comunicado junto à Polícia Criminal Federal que em meados de abril três suspeitos alemães, supostamente administradores da plataforma “Boystown”, foram presos juntamente com um usuário alemão. Um dos três principais suspeitos foi preso no Paraguai.

Em meados de abril, eles revistaram sete prédios na Alemanha em conexão com a rede de pornografia.

As autoridades disseram que a plataforma era “uma das maiores plataformas de darknet do mundo para pornografia infantil” e está ativa desde pelo menos 2019. Os pedófilos os usavam para compartilhar e assistir pornografia de crianças e bebês, a maioria meninos, de todo o mundo.

Os promotores escreveram que encontraram “imagens do abuso sexual mais sério de crianças pequenas” entre as fotos e vídeos.

Uma força-tarefa da polícia alemã estudou a plataforma, seus administradores e usuários por meses em colaboração com a Europol e agências de aplicação da lei da Holanda, Suécia, Austrália, EUA e Canadá.

Os três principais suspeitos eram um homem de 40 anos de Paderborn, um homem de 49 anos de Munique e um homem de 58 anos do norte da Alemanha que viveu no Paraguai por muitos anos. Eles trabalharam como administradores do site e aconselharam os membros sobre como escapar da aplicação da lei caso usassem a plataforma para pornografia infantil ilegal.

Um quarto suspeito, um homem de 64 anos de Hamburgo, é acusado de ser um dos usuários mais ativos da plataforma, que supostamente carregou mais de 3.500 postagens.

A Alemanha solicitou a extradição do suspeito preso no Paraguai.

De acordo com os regulamentos de proteção de dados alemães, nenhum nome foi atribuído.

Após os ataques em meados de abril, a plataforma online foi fechada.

O principal oficial de segurança da Alemanha agradeceu às autoridades por seu sucesso.

“Este sucesso da investigação tem uma mensagem clara: quem ataca os mais fracos não está seguro”, disse o ministro do Interior, Horst Seehofer. “É isso que os investigadores trabalham dia e noite, online e offline, em todo o mundo.”

“Faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para proteger as crianças desses crimes hediondos”, acrescentou.

By Carlos Eduardo

"Fã de música. Geek de cerveja. Amante da web. Cai muito. Nerd de café. Viciado em viagens."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *